Um empate frustrante

|
Correndo o risco de cair no lugar-comum das frases esportivas, me atrevo a dizer que no futebol há “EMPATES e empates”. O primeiro, em maiúsculas, representa aquele obtido com extrema dedicação, contra um adversário muito mais forte. Em geral, é fruto de uma boa atuação de um time valente e que transmite confiança. Ao final de um jogo desses, o torcedor sai satisfeito e confiante no futuro.

O outro, o empate com letras bem miudinhas, é aquele conseguido por um time covarde e retrancado, que mesmo contra um adversário medíocre naquela partida e tendo saído em vantagem de dois gols, se acovarda chamando o outro time pra cima. Mais que isso, faz a sua parte de escalar atletas sem a menor condição técnica que, é claro, ajudam o adversário a conseguir o resultado.

Depois disso, se fecha ainda mais para evitar a derrota e sai “comemorando”. Ao final desse tipo de empate, o torcedor fica com um gostinho amargo na boca.
Que tipo de empate conseguimos ontem no Engenhão? Você decide, torcedor avaiano.

O jogo
Inovador como sempre, Silas armou o time num inacreditável 7-1-2. Com nada menos que sete defensores botocudos, Marquinhos Gabriel sozinho na criação (e Marquinhos ainda reclama) e a dupla iluminada na frente, fomos pro jogo. Mas a surpresa com o esquema ficou até em segundo plano, quando vimos a escalação dele, o imortal, o Chuck Norris avaiano, o cabeça-de-bagre Bruno. Começavam ali as apostas do torcedor avaiano sobre quando ele seria expulso ou aprontaria uma das suas. A resposta não demorou 45 minutos, você sabe.

Pra nossa sorte, encaramos um adversário sem a menor organização nem poder de fogo. Com a torcida vaiando e jogadores de péssima atuação, o Botafogo assistiu o Avaí abrir 2 a 0 com tranquilidade. As vaias aumentaram e o time ficou mais intranquilo. Cenário perfeito para matar o jogo, certo? Seria, se do outro lado não estivesse o time Frankestein armado por Silas. Na avenida deixada por Felipe na direita (ele não tem culpa, aliás. Provavelmente, nunca disse a ninguém que era ala ou lateral) o time alvinegro achou um gol e voltou ao jogo.

Aqui, um parênteses. Treinei futebol na adolescência e lembro como se fosse hoje. No primeiro dia de treinamento, nosso técnico chamou os defensores do time e deu duas instruções que, segundo ele, valeriam para toda a nossa vida. Nas palavras dele: “em primeiro lugar, NUNCA se atrasa uma bola na direção do gol; em segundo, NUNCA se atrasa uma bola sem saber exatamente a posição do goleiro”. Aprendi isso com 16 anos. Pois o craque, a promessa, o iluminado Bruno, que se diz profissional da bola, fez as duas coisas num único lance. Sem tirar o peso das costas do Renan, não dá mais pra aguentar esse atleta em campo. Só eu estou vendo isso?


O segundo tempo foi de um jogo amarrado e chato. Não obstante tivéssemos a chance de vencer, foi mais por deficiência do Botafogo do que propriamente por méritos azuis. Eu não gostei do time nem do resultado. E não venham dizer que foi bom porque marcou gols fora de casa. Como já expliquei, foi um empate com letras minúsculas e covarde. Não é isso que quero pro meu time, que muito provavelmente não vai longe nessa toada.

Silas tinha um sonho
No último domingo ele deu a pista, escalando dois volantes e deixando outros três no banco. E ontem conseguiu realizar: terminamos a partida com nada menos que cinco volantes em campo. O Pastor tinha acabado de realizar mais um sonho. Qual será a próxima invenção? Escalar um volante no gol?

Há muito mais o que dizer sobre esse jogo, sobre as substituições, por exemplo. Mas o post já ficou longo demais. Só pra finalizar, uma dúvida: Acleisson treina cobrança de faltas? Se a resposta é positiva, ele está enganando muito bem. Aquele golzinho contra o Ipatinga só pode ter sido obra do acaso, não é possível. Toca. Marcelo Herondino

16 comentários:

decio disse...

Você é torcedor do Avai ou criticador? Então você acha que empatar com o Botafogo no Engenhão é um resultado ruim? Que o Silas não sabe nada de futebol e você é que é o entendido? Vamos falar com o Zunino para você substitui-lo. Você acha que o Bruno é cabeça de bagre? Interessante, o Paulo Cesar Vasconcellos, da SPORTV, achou o melhor jogador em campo juntamente com aquele que você vaiou no domingo, o Diogo Orlando.
Quem errou foi o Renan com sua mania de jogar na risca da grande área numa hora em que o time estava sendo atacado.
Quer dizer, que na sua ótica, o Avai deveria dispensar todo mundo, ficar somente com o Marquinhos Santos, e contratar novo time com novo treinador.
Vai para o mato ver se o urubu te pinica. Para falar mal do Avai já basta a rede de baixos salários.
Torcedores iguais a você o Avai não precisa, aina mais como blogueiro.
abs
décio

Heron disse...

Olá Decio, bom dia para você também!

Desculpe, mas é por causa desse tipo de pensamento de que seremos eternamente pequenos. Ganhando de 2 a 0, contra um time em cacos, cedemos o empate e você acha que foi um grande resultado? Respeito, mas infelizmente não penso assim.

Outra coisa: torci muito ontem, gritei como louco nos gols. Esse é meu lado torcedor, que é passional e geralmente cego. Mas não sou burro de achar que o time está bem e o Silas acertando.

Ah, sim, é verdade: Diogo Orlando foi bem ontem, assim como Marcinho Guerreiro. Mas Bruno? Poderíamos escrever um tratado só com as m* que ele tem feito. Pra você ele serve? Pra mim, não. E vou criticar sempre que achar que devo. Quer ler só elogios? Tá assim de blog "da diretoria" por aí, divirta-se.

E, por fim: não acho que o Avaí deva dispensar todo mundo. Temos um elenco muito bom, não temos é quem saiba utilizá-lo. Pra mandar embora, assim de cara, quem sabe procurar uma vaguinha no Cepu? Bruno, Gustavo e Felipe.

Thiago disse...

tbm não concordo com o post!
realmente Bruno já devia ter assinado a rescisão, todavia, o gol foi culpa de ambos, tanto do Bruno, quanto do Renan que é um baita catador de borboleta, não deveria estar onde estava!
e outra, em seu post pré-jogo, previa uma catastrofe enorme, "apostando" na lei do futebol em que tudo é imprevisível, eis que, após o jogo, onde o avaí, apesar de estar escalado com um time nunca visto antes, conseguiu fazer dois gols, cedeu o empate com erros defensivos, já existentes e sabidos por nós, aparece outro post seu, pós jogo dizendo q foi um empate ruim!
concordo q foi ruim pela falha defensiva e individual de alguns, todavia, pelo clima criado antes do jogo e a falta de esperança de muitos blogueiros, vejo como um bom resultado!
em miúdos... continue torcendo, pq o manto será sempre avaiano, aos que gostam de criticar o time, lembrem que é o AVAÍ, e que são eles que nos defendem, apesar de alguns não nos trazer segurança, são eles que estão em campo defendendo o time.
Avaí sempre! Avaí!!

ClickAvaí disse...

Eu realmente ODEIO pessoas que confundem criticar atitudes de fulano, beltrano ou ciclano com criticar o AVAÍ!!!!

George disse...

Não vimos o mesmo jogo. O Bruno jogou bem, inclusive foi muito elogiado pelo comentarista da Sportv. A falha do 2o gol foi mais do Renan do que dele. Se tem avenida nas costas do Felipe, a culpa é do volante que cobre o setor, e não dele! Afinal, o cara é ala num esquema 3-5-2. No mais, veja o ponto de vista do Lédio Carmona (blog):
"(...)A situação fica ainda mais insustentável se do outro lado há um Avaí bem organizado taticamente, saindo para o jogo com troca de passes e, mesmo sem capitão Marquinhos, encontrou em Marquinhos Gabriel um substituto habilidoso e atento em campo."
Abraço.

Rose+Roberto=João Marcus disse...

É o famoso empate mascarador! Hoje tá cheio de gente achando que o Avaí se achou, que teve azar em ceder o empate, blá, blá, blá... o jogo foi fraco( como é nivelado por baixo o futebol nacional) e fazem falta jogadores inteligentes-como Loco Abreu e Estrada-pena que nem todo técnico pense assim. Ao final do jogo lembrei do confronto com o goiás pela Sudamericana.

Vitor P Jr disse...

Sobre a possibilidade de escalar um volante no gol: Eu acho que vale a pena tentar.

Guilherme disse...

QUERO LEVANTAR UMA QUESTÃO E CONVIDO TODO PARA PARTICIPAR.

DEPOIS DO JOGO DE ONTEM FIQUEI COM A PULGA ATRAZ DA ORELHA, POIS O TIME MESMO COM VÁRIOS VOLANTES EM CAMPO PRODUZIU BEM OFENSIVAMENTE, E ENTÃO ME VEIO A QUESTÃO QUE CONVIDO A TODOS:

SERÁ QUE O GRUPO TA RACHADO?
SEM O MARQUINHOS SANTOS O TIME TAVA DIFERENTE E PRA MELHOR, ESTAVAM TODOS CORRENDO ATRAZ DA BOLA.
TENHO MEDO QUE O GRUPO DO AVAÍ ESTEJA RACHADO COM O MARQUINHOS SANTOS DEVIDO O QUE ELE VEM FALANDO, O PROTECIONISMO DA TORCIDA E IMPRENSA COM ELE.
SABEMOS QUE A VAIDADE NESSA ÁREA É GRANDE NÃO É MESMO.

SILVIO disse...

Bom dia,
Assisti um jogo parecido com o que viu o Herondino.
Antes do jogo era tragédia anunciada. Claro! Nosso time não passa nenhuma segurança ao torcedor avaiano.
Mas com a bola rolando, vimos um Botafogo atordoado, pressionado pela prória torcida, perdido em campo... Logo, o Avaí (aquele que não passa confiança ao torcedor) acbou se achando no jogo a abriu logo um 2x0. Eis que após o primeiro gol do Botafogo, o próprio Avaí se encarrega de jogar fora uma vitória totalmente possível.
Como é que alguém pode ficar satisfeito com um empate que só ocorreu por causa das trapalhadas dos reincidentes Bruno e Renan? E que depois disso teve nos pés do "ex-iluminado" Evando o gol da vitória não convertido?
Ao desorganizado Botafogo basta um magrinho 1x0, o mesmo placar do Goiás na Sulamericana 2010 e do Imbituba no Estadual 2011. Entenderam?
Uma classificação que poderia ter se tornado fácil com o jogo de ontem, agora está em risco.
Que N. Sra. da Ressacada nos proteja.
Abraço...

Eduardo Roberge Goedert disse...

Foi o famoso resultado que seria ótimo numa previsão, mas que se mostrou ruim pela conjuntura do jogo.

Entramos no 5-2---1-2 de sempre, com Bruno na zaga. Lastimável.

Os dois tentos saíram em lampejos, como o esperado. Não sou daqueles negativistas à Miguel Livramento, mas sou obrigado a concordar: nossa superioridade em campo justificou-se muito mais pela desorganização, desespero e pouca confiança alvinegros. Abriu-se dois a zero e logo o empate veio.

Uma nota: ninguém mais percebeu a lamentável cobertura do Bruno no lance do primeiro gol? Vejam o replay: Guerreiro dá o combate e Bruno vem na cobertura. Quando Guerreiro dá o combate, o cérebro-de-esquilo também ensaia um bote, deixando de acompanhar o jogador que partiu pro cruzamento. Haha!

Só pra salientar: acabamos com cinco volantes de origem, mas apenas com dois exercendo tais funções. Bruno virou o lateral-direito e Fabiano era um meia mais recuado (eu ia importar o termo italiano regista, mas não quero ser acusado de pedantismo). Claro que, pra segurar o resultado, o time se retraiu bizarramente e jogou lá atrás, o que dificulta muito a análise do plano tático.

No mais, devo dizer que acho curioso utilizarem como parâmetro absoluto de avaliação a opinião daquele leigo que comentou o jogo. Claro, na mente daquele, a atuação do pequeno Avaí diante do gigante carioca foi espetacular e o resultado maravilhoso. PCV chegou a dizer que, "pra quem não acompanha o Avaí, vale esclarecer que Diogo Orlando é destaque do time, é um jogador de grande controle de bola". Haha!

Marcelo disse...

Dae galinhada.
Calma meninas, não briguem. Ó as penas da galinhada ae.
Agora sério, relamente em algum momento acharam que iriam ganhar o jogo ontem ? Taaaaaaaa loko, qr dizer, loko abreu. Tão muito bem de zaga e goleiros, porque não escalam um volante no gol eim ? não ?

Gente agora é sério mesmo, vo para de zuar, no jogo da volta esse é o meu palite BOTA FOGO(boto sim senhor) 2x0 GALINHADA(avaízinho).

FICA SILAS, É BOM ESSE TREINADOR...

Perfeit0 disse...

QUem queima um jogador só por um lance (sendo que foi mais culpa do Renan) nao deveria ter um espaço num blog tao reconhecido como esse.

Tu queira ou nao, o Bruno jogou muito bem ontem. Se tu viu o jogo TODO, podes apontar ótimos desarmes dele.

Admite, tais torcendo contra só pra depois dizer: EU FALEI.


Colocasse a culpa do gol no Bruno. Mas me explica que que o Renan queria? Pegar a bola fora da área??

André Rodrigues disse...

Cara, empatar com o Botafogo dominando o jogo e jogando com raça não é covardia; covardia é ficar esculhambando profissionais do teu time por achar dizer, bem ao estilo Miguel Livramento. Começas a fazer comentários oficiais em um Blog que se acha a última cereja do bolo e já achas que és dono da verdade, e que aqueles que pensam diferente são uns ignorantes.
Queria aproveitar pra te lembrar que o time do Avaí somente terminou com quatro volantes (Acleison jogou de lateral!), um meia e um atacante porque o Rafael Coelho se machucou, e nem considero Fabiano como volante.
Ontem o time jogou muito sim, e dominou um Botafogo que ainda não foi vencido por nosso time até então, e se não foi ontem foi por detalhes como o azar do Evando.
Agora pra terminar queria que tu, como excepcional comentarista que achas que és, escrevesse sobre qual é a diferença de sofrer contra o Marcílio Dias num jogo e dominar um "reles" Botafogo em outro - te dou duas diferenças: Bruno e Diogo Orlando - devem haver outras que não estão ao meu alcance.

Felipe Silva disse...

Comentando o texto e os comentários,, acho que:

1) O resultado, olhando só o placar, foi muito bom. Mas poderia ser melhor pelo que foi o jogo. Não acho que chega ao ponto de ser "frustrante", mas ficou aquela sensação de que dava pra ter cometido o crime lá. Com todo respeito, o Botafogo é o menor entre os grandes, tem uma torcida ausente e reclamona (5 mil pessoas ontem) e um elenco não muito superior ao de um clube médio do futebol brasileiro. Jogar contra o Botafogo é tão difícil quanto jogar contra o Coritiba ou o Atlético-PR, na minha opinião.

2) O esquema com 3 volantes (ou 3 zagueiros, se considerar que o Bruno atuou como zagueiro em alguns momentos) funcionou em parte do primeiro tempo principalmente porque permitiu ao Julinho e Felipe saírem mais pro jogo. O Julinho inclusive deu passe pro primeiro gol como se fosse um meia-atacante. O Felipe, bem, o Felipe de bom só tem o nome. Depois que fizemos o 1x0, virou 7-1-2 de fato. Ainda conseguimos mais um, mas estava claro que ficar lá atrás o tempo todo levando porrada com três volantes botocudos não ia dar certo.

3) É mais que normal que comentaristas do Sportv elogiem times pequenos e seus jogadores - que eles veem atuar duas ou três vezes por ano - em partidas contra os grandes. Primeiro, pra não sofrerem aqueles comentários de que "só falam (bem) dos grandes)" e também porque, na visão de um PCV da vida, o Avaí empatar com o Botafogo no RJ é algo fenomenal, como se a gente saísse da nossa Ilha cagado de medo desses times de RJ-SP.

4) O Botafogo chora de ruim. Melhor que o Marcílio, melhor que o Joinville, etc., mas horrível.

5) Acho que o gol foi mais falha do Renan que do Bruno, mas dá pra botar na conta dos dois. Tirando isso, posso estar completamente cego ou louco, mas vi o Renan SALVAR o Avaí quando o jogo estava 1x1 lá em Itajaí e fazer boas defesas no segundo tempo, quando sofremos pressão o tempo todo. Longe de ser o goleiro dos meus sonhos, melhorou muito nos últimos dois jogos.

6) Acho que vi o jogo errado, decerto eu estava assistindo Cruzeiro x Estudiantes e achei que era Avaí x Botafogo, porque tem gente dizendo que o Avaí "dominou" o Botafogo. O Avaí levou pressão o tempo todo e saiu muito bem nos contra-ataques no início do jogo. Só. De resto, só deu Botafogo.

7) Acabar o jogo com cinco volantes em campo, com Acleisson de lateral-direito... O Silas tá forçando a barra pra diretoria contratar jogador. Ainda falta um mês pra Série A, ele que se concnetre em Copa do BR e estadual. Só fala em Série A esse demonho.

8) Bruno e Diogo Orlando são fraquíssimos e Marquinhos Gabriel também não é nada demais. Diferentemente do PCV, eu vejo TODOS os jogos do Avaí e sei como eles jogam.

e segue o baile. Semana que vem tem mais.

Heron disse...

Bom dia a todos!

Eu iria escrever um tratado respondendo aos comentários desse pós-jogo, mas o Felipe Silva me poupou o trabalho. Assino sem ressalvas o comentário dele. Obrigado, Felipe.

Só acrescento duas coisas:

Primeiro, essa mania de achar que se um comentarista de RJ-SP falou algo, isso é verdade absoluta. Síndrome de província e pequenez, isso que é. Freud explica.

Segundo, rechaço com veemência os comentários do sr. André Rodrigues. NUNCA fiz, tampouco farei, qualquer insinuação de que "aqueles que pensam diferente são uns ignorantes". Nem me acho "excepcional comentarista" como mencionado. Sou apenas um torcedor que, como todos os outros, tenho uma opinião sobre o time do Avaí. E me disponho a discutir isso tão somente. Ofensas pessoais jamais serão feitas por mim nem são bem vindas nesse espaço.

Abraço a todos e obrigado pelos comentários.

A

George disse...

Novamente tenho outro nome para citação de fonte que fica "um pouquinho além de Biguaçu": ampliar horizontes. Sugiro. Tens uns caras bons por lá.
Ah, e não é mania. Canso de citar o blog do Sandro, aquele amigo do parapeito.
Abs!

Postar um comentário