O Avaí se infunchou

| 5 comentários
É verdade. Quando todo mundo imaginava que aquela nota de repúdio do Avaí por conta das lambanças do Sr. Luiz Orlando de Souza fosse mais um placebo administrativo, eis que a cidade acorda sob o impacto de que se foi bem mais longe. Na verdade o clube instaurou um inquérito contra esse árbitro, reforçando não apenas que se sentiu prejudicado no clássico como também levantando sérias suspeitas sobre o caráter do senhor de preto.

Segundo a nota no site oficial o objetivo é “apurar as diversas infrações disciplinares praticadas pela arbitragem na partida Avai x Figueirense realizado no dia 24 de março”. E mais: “o AVAI FUTEBOL CLUBE apresentou provas e requereu a punição dos árbitros responsáveis pela não aplicação das regras da modalidade, pela omissão em coibir violência entre os atletas e pela deturpação de fatos ocorridos quando da lavratura do relatório do jogo”.

O TJD divulgou no seu site que essa questão será julgada no dia 6 de abril e pode significar um fim de carreira melancólico para Luiz Orlando, o Scarpelli. Pra terminar o post, acredito que se metade dessa atitude for colocada em campo hoje pelo Avaí, sairemos de Curitiba classificados e só esperando o Grêmio de Silas. Estou orgulhoso.

Eu não esqueço

| 8 comentários
O leitor do blog deve estar lembrado de minha indignação com aquele gesto político da diretoria avaiana em "galardoar" Fábio Koff com a primeira Medalha de Honra ao Mérito Saul Oliveira. Embora a justificativa apresentada era a de que o cartola gaúcho tenha sido um pilar de apoio ao presidente Zunino no início de sua gestão no Avaí, a ideia era fazer parte do Cube dos Treze.

Sai mês, entra mês e cadê esse convite? Nada feito, meu amigo. Entramos na mesma fila de constrangimento do primo-segundo-do-Estreito, que em sua época áurea de série A andou ciscando com esse mesmo sonho hollywoodiano. O nosso caso é mais grave porque a história contará daqui para todo sempre que a primazia da primeira medalha da mais alta condecoração avaiana foi para um gaúcho, gremista, não sócio e que aparece na Ressacada duas ou três vezes por ano.

Disse e repito: porque não um avaiano manezinho da ilha?
Bem que a diretoria poderia tentar desviar nossa atenção de micos como esse com ações práticas fora dos gramados. Já me daria por satisfeito se o novo site avaiano, prometido para o mês passado (ou retrasado, sei lá) fosse entregue pelo menos antes do Brasileirão.

Desculpe se esse post é "nada a ver" para o dia de hoje, com jogo decisivo na Copa do Brasil. É que como o leitor já sabe, esse aqui é meu diário-virtual-nada-particular onde desabafo as coisas relacionadas ao Avaí. Sendo sincero, hoje estou com uma puta TPD: Tensão Pré Desclassificação. Mas juro que no período da tarde reuno forças do além e faço um post ufanista, bem naquele estilo "Vamu, vamu, Avaê". Vou tentar, eu juro.

Um jogo, um cargo

| 4 comentários
O jogo da volta de hoje à noite contra o Coritiba põe na mesma balança as pretensões do Avaí para a Copa do Brasil e do técnico Péricles Chamusca para o ano de 2010. Por tudo o que presenciamos até o momento, o bom baiano não conseguiu implementar os requisitos mínimos que se espera de um profissional dessa função.

Há quem diga que Chamusca tem potencial, palavra que me soa estranho, pois quando a ouço lembro imediatamente das crianças, pródigas em potencial, cheias de expectativas para um futuro não tão distante. E por falar nisso, em expectativas, já as perdemos em relação a alguns jogadores que já demonstraram não servir nem para o banco de reservas. Isso não é exagero.

Tentou-se à duras penas envolver o elenco e todo o trabalho do Avaí em 2010 em espessas nuvens "desviantes" que objetivavam re-focar a atenção dos erros que saltavam aos nossos olhos. Inicialmente os maus foram resultados explicados pelo desentrosamento. Depois vieram as contusões. Chegamos na fase dos testes, ou revezamento de posições, como queiram. Gramados, juízes, vaias do torcedor, factóides de contratações que não vingaram, enfim, um mundo de faz-de-conta para tornar possível a esperança de que algo acontecesse. Essa partida contra o Coritiba segue o mesmo enredo. Estamos todos cansados. Também estamos preocupados, pois sabemos que a bola pune.
..

Delírios e verdades

| 7 comentários
. "(...) poucos sabem, mas o treinador baiano aceitou ganhar no Leão da Ilha a metade do salário que ele recebia no Sport. (...) É por essas e por outras que o torcedor avaiano precisa ter um pouco mais de paciência com Chamusca, que errou nas últimas semanas, principalmente em não dar um padrão ao time titular e também por não ter justificado o empate no clássico e apenas ter colocado a culpa na arbitragem". Portal Infoesporte

. "O Avaí não joga no 3-6-1. (...) Chamusca joga com uma linha de cinco na defesa. (...) Jogamos, na verdade, no 5-3-2". Eduardo Goedert, blog vidAvaí

. "Por que um Clube que conhece seu calendário pra 2010 desde dezembro de 2009, ainda não tem reserva para a lateral esquerda?" Kátia de Paula, blog DNAzul

. "O Avaí hoje é um time compacto". Moisés Cândido, coordenador de futebol do Avaí

Um seriado avaiano

| 6 comentários
Avai Lost

Complicado, mas não muito

| 0 comentários
Concluída a 7ª rodada do returno catarinense, o Avaí confirma a má fase e perde a liderança da competição para seu rival da série B. Foram necessárias três rodadas consecutivas de maus resultados para que essa proeza fosse alcançada: derrota para o Imbituba, empate no clássico e outra derrota para o JEC. De nove pontos apenas um entrou pro caixa do Carianos.

Temos três variáveis parcialmente controláveis para retomarmos a liderança do returno e assim decidirmos o 2° turno e a final (abençoa, Senhor) aqui no Carianos. Precisamos vencer o Atlético na Ressacada e o Metrô em Blumenau e torcer por um tropeço rosado agora em Chapecó. As oportunidades estão aí, basta não amarelar na hora H.

Amanhã o Avaí enfrenta o Coritiba e a menos que aconteça o milagre do aparecimento de um padrão de jogo seguido de entrosamento, devemos nos despedir da Copa do Brasil. Todo avaiano que se preza acredita em milagres e por conta disso se nega a jogar a toalha precocemente. Aliás, chegamos numa situação inusitada: se passarmos pelo Coritiba Chamusca continua, o que pode significar o fim do sonho do bicampeonato. Que situação.

O grande enigma avaiano

| 8 comentários
Gosto de enigmas. Essa mania começou ainda na adolescência quando li Morte no Nilo da inglesa Agatha Christie. Abri o livro e só fechei depois de ler a última página, pulando almoço e café da tarde. Depois foi a vez da história do enigma da Esfinge: “Que criatura pela manhã tem quatro pés, ao meio-dia tem dois e à tarde tem três?" Ela estrangulava os que não respondessem corretamente, dai a origem do nome esfinge, que deriva do grego sphingo, estrangular. Édipo resolveu o quebra-cabeça: o homem, engatinha como bebê, anda sobre dois pés na idade adulta, e usa um bengala quando é ancião. Furiosa com tal resposta, a esfinge teria cometido suicídio atirando-se de um precipício.

Mais mistérios
Aí pintou a publicidade e com ela uma nova curiosidade: Tostines é fresquinho porque vende mais ou vende mais porque é mais fresquinho? Ainda não matei essa. Aliás,
foi nesse mesmo período que surgiu a paixão pelo Avaí e por seus segredos “irresolvíveis”. O último tomou corpo na semana passada. Desde a chegada de Chamusca estamos aguardando ansiosamente pelo tal padrão de jogo, até aí nenhuma novidade. Só que numa entrevista concedida ao Portal Infoesporte o parceiro Luiz Alberto declarou que o bom baiano é o melhor técnico que ele já viu trabalhar. Então tá.

Responde essa

Isoladamente essa opinião do empresário da L.A Sports não teria maior importância, mas fazendo-se uma acareação entre ela e aquela do presidente Zunino no início da temporada, onde afirmava que nunca na história do Avaí iniciamos um ano com um grupo tão forte, aí temos um baita enigma: se Chamusca é tão bom, então o elenco é que é fraco? Mas se o elenco é forte, então Chamusca é que é fraco? Diabos, quem delirou, Luiz Aberto ou João Nilson?

Se você está ainda mais confuso não culpe esse blogueiro. Esse post poderia fazer o leitor entrar em convulsão irreversível pedindo para resolver uma questão bem mais complicada como recitar a escalação do time titular do Avaí, por exemplo. Sorte sua que não sou tão malvado assim.

Estaca Zero

| 0 comentários
GuilhermeVoltamos a jogar o futebol do início do campeonato, time desorganizado, sem padrão de formação e jogo, meio campo ineficiente, marcação frouxa e volantes perdidos. Tudo isso no jogo de ontem, também. Temos ainda outros agravantes, um mais triste que o outro.

Primeiro tempo
Logo de cara já era visível o quanto a equipe estava desencontrada, passes de meio metro se tornaram verdadeiros desafios, assim como nossa meia cancha que não conseguia produzir coisa que prestasse. Não criamos nada de produtivo, éramos um amontoado de jogadores vendo o fraco time do Joinville nos colocando na roda. Batista na esquerda não viu a cor da bola, o mesmo que aconteceu com Vandinho, mas esse porque a bola simplesmente não chegou. Robson e Sávio trataram brigar com a redondinha o quanto deu, até ela não chegar mais para ninguém.

Segundo tempo
Voltamos com Leonardo no lugar do Sávio e as laterais mudaram, Patric foi para esquerda (hã?) e Jhonny para direita, com Batista vindo para o meio. Nessa maionese toda nosso time se perdeu ainda mais, o ataque foi ainda menos acionado, a defesa se virava como podia e o meio trupicava. O que era angústia virou desespero com dois gols do Joinville. Patric voltou para direita e Jhonny para esquerda, nossas alas melhoraram e fomos pro abafa.
Em uma falta Patric fez um golaço e se redimiu dele fazendo sinal de silêncio, causando um burburim na torcida e no atacante Lima que foi tirar “sastisfação”. Os dois foram para o chuveiro mais cedo. Por incrível que pareça, tomamos mais um gol em um contra-ataque que resultou no penal convertido pelo JEC. Ainda no abafa desorganizado Batista fez mais um para não ficar tão feio: 3x2 final. Caio e Medina entraram no final para dar algum gás mas nada produziram.

Terceiro tempo
Pela segunda vez no campeonato vi o Avaí tomar três gols, o que não é normal com a bela zaga que temos. A explicação para isso é nossa desorganização de alas e volantes. Não entendo o que Rodrigo Thiesen faz fora do time. O ataque com Leonardo ou Vandinho, ou mesmo os dois juntos, não faz nenhuma diferença alguma porque a bola simplesmente não chega, esquece. Ou nossos meias tomam jeito assumam a responsabilidade ou não vamos conseguir NADA em nenhum campeonato.
Continuamos a não chutar a gol, ninguém arrisca, terrível. É preciso treinar chutes com Sávio e às vezes ele precisa ser fominha. É cômico e trágico perceber que hoje nosso melhor armador de jogadas é o goleiro Zé Carlos. Na quarta vamos a Curitiba, ou o time melhora ou vai ser mais um “Deusnosacuda”. Vamos esperar alguns milagres. Sds Azurras, Guilherme Quadros

Vale a pena sofrer de novo

| 1 comentários

Chega a ser constrangedor

| 11 comentários
Após 16 rodadas do campeonato catarinense, os jogos do quadrangular do 1° turno e as duas partidas na Copa do Brasil, não temos mais dúvidas: o esquema de Péricles Chamusca se baseia na retranca seguida de ocasionais contra ataques. Foi assim até contra o Juventus de Jaraguá do Sul aqui dentro da Ressacada há poucos dias. Chamusca simplesmente não sabe quem está treinando.

Não é possível fazer uma análise tática desse jogo porque um dos oponentes não entrou em campo. O Avaí tombou diante de um time esforçado, com uma folha salarial 70% menor que a sua e que não figura sequer na série C nacional. Caímos de forma covarde, incompetente e sem respeito às tradições do Leão da Ilha. Hoje vimos um bando de jogadores correndo à esmo de forma totalmente desorganizada, alguns deles impróprios até para figurarem em nosso banco de reservas. Triste.

Estamos há duas semanas sem saber o que é vitória. Nesse meio tempo entregamos a invencibilidade do 2° turno do estadual, a liderança da competição e estamos prestes a dar adeus à menina dos olhos da diretoria avaiana, a Copa do Brasil.
Costumo dizer que só há dois tipos de empresas, as ágeis e as mortas. Pois bem, em 2008 a diretoria avaiana ficou esperando um milagre de Sérgio Ramirez e acabamos entregando o título estadual de bandeja para um time ridículo. Para Chamusca só resta um chance: passar pelo Coritiba na quarta.

Vencer ou golear, eis a questão

| 2 comentários
Não, o título desse post não é nenhum tratado ufanista. É apenas a constatação que de um jeito ou de outro a vitória é a única opção do Avaí para a partida dessa tarde, às 16hs, na Arena Joinville. Com a goleada de ontem por 5x0 contra o rebaixado Juventus, as Barbies do Estreito assumiram a liderança provisória do estadual e ainda dispararam no saldo de gols.

Não bastasse isso temos o Imbituba fungando forte no cangote dos chamados grandes do futebol catarinense. Caso perca para o JEC e o Imbituba vença bem a Chapecoense, o Avaí pode terminar essa rodada numa péssima terceira colocação. As fracas apresentações das últimas rodadas queimaram toda nossa gordura e agora precisamos ser competentes para não precisarmos de transfusão de sangue. Por competência leia-se três pontos a mais na tabela ainda hoje.


Desfalques
O Avaí não terá o zagueiro Rafael, suspenso, nem o lateral Uendel, que se machucou no clássico. O zagueiro Gabriel volta ao time e Batista deve ser improvisado na ala esquerda. Jhonny e Rodrigo Thiesen "correm o risco" de serem nossa dupla de volantes titulares nesse jogo.

Avaí
Zé Carlos; Émerson Nunes, Gabriel e Emerson; Patric, Jhonny, Rudnei, Caio e Batista; Sávio e Leonardo (Vandinho).
Joinville
Fabiano; Rafael Tesser, Samuel, Marcelo e Eduardo; Carlinhos Santos, Ricardinho, Emerson e Miro Bahia; Lima e Cris.

O placebo implacável

| 5 comentários
No dia seguinte ao espetáculo circense do clássico maior (?) de SC o Avaí lançou um comunicado oficial em seu site informando que se pronunciaria de forma contundente para "apresentar aos seus torcedores e ao público em geral, sua manifestação em relação aos fatos provocados pela arbitragem da partida". Dizia ainda que estava estudando medidas legais para não deixar pedra sobre pedra nessa muvuca que se transformou a arbitragem catarinense.

Ontem saiu uma nota ofical de repúdio aos erros de arbitragem praticados por alguns árbitros em 2010. Acusou negligências, prejuízos ao clube e jogadores. A nota pedia que tais atos não se repetissem até para que a isenção e transparência (?) da Federação não fosse colocada em xeque e finalizava prometendo que iria propor medidas legais perante o Tribunal de Justiça Desportiva.

Traduzindo: o Avaí lançou uma nota oficial para informar que lançaria uma outra nota oficial. Quando a segunda chega, chega em ritmo de chororô: "Ó, então fica combinado assim. A gente não vai fazer nada dessa vez, mas na próxima... também não". Sinto que Mr. Delfim está defecando e transitando com toda essa contundência. As notas de repúdio do Avaí me matam de vergonha.

O rescaldo do entrevero

| 0 comentários
É lamentável que tenhamos falado tão pouco de futebol depois do clássico. Falamos mais de segurança pública e direito esportivo do que dos sistemas de jogo de ambas as equipes. Como já suplicou um blogueiro avaiano “Por favor, devolvam meu futebol, que ficou perdido em algum lugar entre um "patrocínio-master" e um "planejamento estratégico".

Por tudo o que foi “delatado” pelo árbitro da partida, podemos ter algumas sanções ao Avaí. O fogueteiro já se apresentou, o que ajuda um pouco. O troféu alusivo ao aniversário de Floripa, esse está lá em nossa sala de troféus mas parece que será entregue nos próximos dias. Droga. O saldo desse bafafá, anotem aí, é que algo me diz que o Avaí será beneficiado pela arbitragem amanhã em Joinville. É preciso transformar a vítima em réu urgentemente, entendessi?

Ainda na área extra-campo leio a declaração do volante Jhonny dizendo-se com dois nós na garganta, a final do turno contra o JEC e esse último clássico: “Agora é ir lá pra Joinville e dar o troco neles”. Se funciona? Claro que sim. O futebol não é exatamente o esporte das elites intelectuais e sendo assim qualquer tipo de dopping emocional é muito bem vindo.

Te acalma, Deivid

| 10 comentários
Deivid Dias é um dos gandulas do Avaí que foi denunciado na súmula do árbitro Luiz Orlando de Souza por trocar empurrões e ofensas morais com os jogadores da Barbieland. Ainda segundo o árbitro foi necessária a intervenção do policiamento que estava próximo para que os ânimos pudessem ser serenados.

O fato curioso é que Deivid é reincidente. No ano passado, no jogo entre Avaí e Botafogo pela série A, esse mesmo gandula foi protagonista de uma cena digna de nossos campinhos de várzea. Segundo a anotação do árbitro à época “Aos dois minutos do acréscimo do 2º tempo, durante um contra-ataque em favor da equipe Botafogo, o gandula Sr. Deivid Dias atirou uma bola dentro do campo de jogo com a clara intenção de prejudicar o contra-ataque, pois a bola atirada foi em direção ao atleta que estava com a posse de bola. Como não houve interferência na jogada a partida prosseguiu. Por esse motivo expulsei o citado gandula”.

Sabidamente o Avaí FC tem um coração de mãe. Muitas vezes esse carinho se traduz no mais puro amadorismo, sem as devidas cobranças aos funcionários para que primem pela excelência naquilo que for feito. Mais do que amor à cor azul, o treinamento de Deivid deveria primar pela disciplina e correta observância dos limites de sua função. Depois disso, sim, poderia ser transmitido a ele que até mesmo por amor deveria ser evitado qualquer tipo de exposição desnecessária ao clube. Atrapalhar o ataque adversário e defender o Avaí braço não é a função de um gandula. Nunca foi.

Uma campanha by torcedor

| 16 comentários
avaí palhaço final

Poxa, que alívio

| 7 comentários
Segundo o advogado do Avaí, Sandro Barreto, o clube não será punido com a perda de mando de campo por conta de tudo o que aconteceu dentro e fora da Ressacada no clássico da última quarta-feira. “Não tem a menor possibilidade de perdermos o mando de campo. (...) Nesse momento, a identificação (do responsável pelo lançamento do foguete) é o que menos importa e o que precisamos mostrar é que havia total segurança no estádio”. Fonte DC

Agora tô mais tranquilo. O bandido não será preso mas posso continuar indo na Ressacada despreocupadamente. Essas palavras são um conforto para as nossas almas.

O Avaí em ação

| 1 comentários
A Diretoria do Avaí fez um comunicado na tarde de ontem informando que se manifestará energicamente sobre os lamentáveis fatos ocorridos no clássico da última quarta-feria. Essa nota cita especificamente “os fatos provocados pela arbitragem”.

Em relação ao espetáculo circense que assistimos, tenho duas sugestões de conteúdo para serem analisadas. A primeira é que se enfoque também os itens relatados pela súmula do Sr. Luiz Orlando de Souza, o que inclui eventos pós-jogo e externos ao estádio da Ressacada. A segunda sugestão é que se reúna a comissão técnica para entender porque ainda não temos um padrão de jogo, perguntar aos jogadores se realmente nada foi aprendido naquela final do 1° turno contra o JEC e qual a razão para que alguns deles não estarem fazendo jus aos seus polpudos salários.


Caso sobre tempo, não seria nada mau tentar descobrir o delinqüente que jogou aquele foguete no gramado já comemorando a vitória azurra. Como dizia meu avô “Se algo merece ser feito, então merece ser bem feito”. Não vamos tapar o sol com a peneira, ok?

Pra relaxar as tensões do clássico

| 3 comentários

No aguardo

| 6 comentários
Normalmente o pós-jogo aqui no blog inicia com a análise técnica elaborada por Guilherme Quadros por volta das 9hs, seguido por um post desse blogueiro às 14hs. Em virtude de meus comentários estarem dessa vez atrelados ao posicionamento que a direção avaiana tomará (ou não) com relação ao "circo" que assistimos ontem à noite, esperarei esse possível pronunciamento.

Sávio, Zé Carlos e Chamusca (ainda) não foram empossados como assessores do presidente, portanto queremos saber o que ele pensa. Não há porque passarmos batidos por atos que deveriam se seguir em salvaguarda de um patrimônio que pertence a uma nação inteira. Não se mudará a rotação do planeta Terra, mas não é justo que apenas os cidadãos das arquibancadas se permitam indignar com esse estado de coisas. Enquanto isso aproveitem os textos de Felipe Matos e Alexandre Carlos Aguiar.

Atualização do post (16hs): O "árbitro" Luiz Orlando de Souza foi mais ligêrinho. Sua súmula foi publicada essa tarde e pelo conteúdo o Avaí deverá jogar os próximos cinco anos na Sibéria.


Esse filme eu já vi

| 1 comentários
GuilhermeEm função de minha indignação por tudo o que assisti ontem, hoje ficarei devendo uma análise mais detalhada do jogo. Realmente desanimador, esse campeonato virou um circo.

Jogo pegado, como todo o clássico, gramado sensacional, torcida fazendo festa, tudo perfeito para ser uma perfeita partida. Apesar da pressão inicial do adversário, que desejava a vitória tanto quanto nós, chegamos a equilibrar as ações e passamos a uma ampla superioridade territorial. O Avaí cresce com Patric na ala, a dupla de volantes com Batista e Rudnei estava mais acertada antes da entrada do Rodrigo Thiesen que ocupou a cabeça de área.

O que me impressiona em jogos decisivos é que alguns jogadores crescem na hora da decisão e outros somem, parecendo se esconder atrás da marcação. Caio e Leonardo não funcionaram. O primeiro pelo menos é voluntarioso e se não fez uma ótima partida pelo menos dava combate. Já Leonardo foi uma peça nula que parecia aguardar a entrada Vandinho para ver se algo de bom aconteceria. O contrário também há de se destacar, vários jogadores jogaram muito, principalmente Sávio que pra mim foi o melhor jogador em campo. Batista, que não vinha de boas atuações, fez uma bela partida também. Enquanto esteve no meio rendeu mais, conseguia comandar a meia cancha e assumiu a “responsa” de armação de jogadas. Já na ala não deixou ninguém jogar por ali.

Faltou algo ao nosso time: como explicar que Sávio, Rudnei, Patric, Batista e Caio não chutem a gol? Temos apenas um atacante fixo sufocado pela marcação. Eles precisam chutar no gol, finalizar mais! Nossa zaga, muito bem e segura. No lance do Firmino, expulsão do Rafael, mas era para Batista ou Rodrigo terem feito a falta antes até porque ainda não tinham cartão.
O jogo terminou 1x1, nosso gol foi marcado pelo Rafael em um escanteio após assistência do Emerson de cabeça pelo alto. O deles também após um escanteio (inventado) após o tempo regulamentar. Willian fez o gol de empate depois da bola sobrar espirrada para ele.

A indignação ficou por conta do assoprador. Não dá mais para colocar árbitros da federação em jogos decisivos como esse. É uma vergonha, e o pior é que domingo já haviam “passado a mão” no Avaí ali em Imbituba. Quando isso vai parar? Sds Azurras, Guilherme Quadros

Os gols de Avaí 1 x 1 Barbies

| 0 comentários

Com a palavra, o presidente

| 9 comentários
O que acabamos de presenciar no clássico da Ressacada é um daqueles eventos em que percebemos que o futebol já não merece credibilidade. Dizer "que vença o melhor" é uma intenção perdida no vácuo das mazelas desse grande esquema que envolve milhões de Reais num país de terceiro mundo.

Blogueiros avaianos farão posts emocionados de indignação. Na Comunidade do Orkut palavrões serão jogados ao vento. O torcedor comum, coitado, não há quem o ouça. Enfim, nada podemos fazer, somos apenas pessoas comuns sem poder para mudar sequer a posição de um quero-quero do gramado.

Cabe ao presidente João Nilson Zunino levantar sua voz contra essa brincadeira que se tornou o campeonato catarinense. Se a pessoa que escolhemos para cuidar de nosso clube se calar, se nem ele demonstrar sua revolta, não seremos nós a fazê-lo com eficiência. A nação azurra está cansada.

Jogar com garra é obrigação

| 2 comentários
O clássico dessa noite/madrugada no estádio da Ressacada tem um cenário completamente diferente daquele do 1° turno. Com um status de clube de séire A e com um elenco muito superior (no papel), todos esperavam um massacre do Avaí. Não foi bem isso que vimos. Terminamos o primeiro tempo dando graças a Deus pelo placar adverso de 2x1 No segundo tempo conseguimos equilibrar e sufocar o primo-segundo-do-Estreito empatando o jogo no apagar das luzes.

No post de terça-feria Pressão e Oportunidade, analisamos e vimos que o momento emocional é favorável a “eles”. Entretanto algumas coisas mudaram de ontem pra hoje. Ao ver os mais de 1.700 torcedores prestigiando o treino-apronto de ontem, o elenco avaiano percebeu que para equilibrar esse apoio das arquibancadas só mesmo com entrega total dentro das quatro linhas. Menos que isso é atestado de desinteresse.

Temos chuva pela frente, filas de ida, filas de volta, riscos de confronto entre as organizadas, flanelinhas, enfim, um monte de coisas que deixam de ter qualquer importância nessa noite. Nas arquibancadas estaremos fazendo o "feijão-com-arroz de sempre", apoiando à plenos pulmões. Que no gramado os 11 azurras saibam retribuir com coragem e profissionalismo porque vencer não é fundamental, jogar com garra, sim.

Tudo ao contrário

| 6 comentários
Chegamos ao dia do jogo onde a maior rivalidade do estado entrará em campo. Em qualquer país semi-evoluído os torcedores estariam sendo sedutoramente instigados a comparecer e consumir. Consumir ingressos, refrigerantes, sanduíches e, principalmente, um espetáculo único em SC. Mas não aqui. Aqui é Brasil. Enxergar futebol como um bom negócio é pecado.

Com ingressos a R$60 o torcedor já sente aquela comichão de economizar esses equivalentes à 25 litros de gasolina e assistir a partida pelo PFC de algum amigo, parente ou qualquer boteco de esquina. Mas teimoso que é ele pensa: “Peraí, tem mais coisas pra se assistir na Ressacada”. Ele pensa, por exemplo, em mais uma edição do Ressacada On Fire, um espetáculo de luzes, cores e sons.

Nada feito. Ontem a Polícia Militar convocou as torcidas organizadas para um papo e apenas um representante da Mancha Azul compareceu. Com a pulga atrás da orelha a PM tomou o atalho mais fácil proibindo roupas personalizadas, faixas, bandeiras, instrumentos musicais, sinalizadores, piscas, enfim, tudo o que lembra festa no futebol.

Há tanto o que se criticar nessa decisão equivocada que por certo teríamos o post mais longo desse blog, mas rapidamente chego a conclusões muito óbvias.
Primeiro: a PM admite que não consegue controlar o pequeno grupo de torcedores (pra lá de conhecidos) que gerariam problemas e assim decide “socializar” a repreensão. Os milhares restantes que só querem saber de futebol e lazer acabam sendo jogados na mesma vala-comum.
Segundo: que desânimo para os organizadores do ROF que preparam essa festa desde o 1° turno.
Terceiro: já não bastasse questionar o drible, os caixões-gozação, as danças e até mesmo as vaias, agora as festas são opcionais e o torcedor é visto como um João-Bobo.


O futebol está cada vez mais caro, cada vez mais complicado, triste e perigoso. Não temos quem tome atitudes maduras e certeiras, quando muito paliativas. Se eu fosse dono de uma rede de TV que oferece o Pay Per View estaria esfregando as mãos nesse momento. Lucro caindo no colo.

O apoio de sempre

| 0 comentários
avaí treino
Mais de 1.700 torcedores presentes no treino-apronto de hoje na Ressacada. Foto Blog Oficial do Avaí

Mãos ao alto, isso é um clássico

| 8 comentários
O trocadilho do título desse post está na capa do jornal Hora de SC de hoje. Quase sem forças para reclamar, os avaianos ainda não se acostumaram aos ingressos mais caros do Brasil praticados na Ressacada. "Ah, mas o Santos cobra R$80 na Vila Belmiro". Apenas em clássicos, meu querido. Infelizmente ainda estamos no topo da carestia do futebol nacional.

Detalhe
Você já notou a diferença do enfoque que a mesma RBS dá para essa política de preços do Avaí? Na TV e no rádio vemos Miguel e Roberto defendendo abertamente essa "estratégia" da diretoria azurra. Faraco e Semensati até são contra, mas se você prestar bastante atenção verá que eles falam nesse tema muito rapidamente e meio que constrangidos. Os jornais também tem posicionamento diferenciado. Enquanto o DC mal toca no assunto, o Hora já deve ter feito umas duas ou três matérias sobre ele. A explicação é o público alvo de cada um dos veículos. O único que é segmentado para as classes populares é o Hora. Agora entendessi?

O prazer é nosso
Pela primeira vez nesse ano fico satisfeito com esses R$60 do valor de nossos ingressos. Embora esse absurdo financeiro continue afastando a nação avaiana do estádio, temos o reconforto de saber caso a torcida modinha resolva ocupar todos os 1.500 lugares a ela destinados, R$90mil entrarão no caixa da Ressacada. Não é nada, não é nada, já dá pra pagar o salário de um mês de Chamusca.

Pressão e oportunidade

| 2 comentários
Nem parece que o Avaí é o líder do estadual, returno e classificação geral. Com 12 pontos, dois a mais que o adversário de amanhã na Ressacada, vivemos momentos de tensão e incertezas. A falta de um padrão de jogo definido, os questionamentos sobre o trabalho de Chamusca, o pouco futebol e a falta de vontade de alguns jogadores e a elitização dos torcedores geram um cenário de instabilidade às vésperas de um jogo tão importante.

Como se não bastasse tudo isso estamos vindo de uma derrota para o Imbituba, o que não ajuda muito. Com o maior orçamento do futebol catarinense, com atletas já conhecidos no cenário nacional e ostentando o status de um clube de série A, não nos enganemos, toda a responsabilidade da vitória recai sobre o Avaí. É um jogo muito importante do ponto de vista estratégico, pois depois dele teremos compromissos ainda mais complicados: JEC em Joinville, Ibirama em casa, Coxa em Curitiba e Metrô lá em Blumenau. A rapadura que já não era mole ficará um pouco menos doce à partir de agora.

Pra lá da ponte
O quadro é exatamente o inverso no tocante à “eles”. O treinador Márcio Goiano acertou o time e é o herói da vez no estádio da arquibancada que invade a rua. Possuem um time jovem, cheio de tesão e onde boa parte dos titulares vieram de suas categorias de base. Sem falar que no último jogo massacraram o Metropolitano, uma equipe média de SC.
O momento emocional “deles” é tão bom que mesmo perdendo o parceiro responsável pelas últimas conquistas, ainda assim encontram razões para serem felizes: “O time voltou pras nossas mãos”, dizem. E não adianta informá-los que o credor só mudou de nome, pois outros empresários vão ter que colocar a mão na “burra” pra pagar as contas do mês. E dá-lhe passivo financeiro.

Oportunidade
É isso que vislumbro para o Avaí nesse clássico. Se estamos inseguros, se há um distanciamento do torcedor de seu clube e se os profissionais da bola do Carianos queriam um evento perfeito para darem a volta por cima, nada melhor que um clássico com estádio lotado e atenções 100% voltadas para suas qualidades e esforços. É jogo para se consagrar, virar a página e engatar a marcha para o 2010 que todos nós esperamos.

Pronto, tá resolvido

| 7 comentários
avai cristiano ronaldo
Requento a montagem mas não perco a piada.

A palavra do leitor

| 10 comentários
O leitor Cesar ficou parcialmente injuriado com o post de ontem à noite Mais que três pontos. Também discordou de alguns comentátios que se seguiram por parte de outros leitores. A discussão foi muito boa mas esse comentário do Cesar foi uma espécie de "resumo da ópera". Aliás, como já é tradição nos blogs esportivos, os comentários são bem mais interessantes que os posts principais. Vai lá, Cesar, pode cornetear os corneteiros à vontade:

"PR, parei de ler seu comentário quando criticasse o Emerson. Gerson/Roman, concordo com o Enio e Evefloripa. Quem lê os blogs, a imprensa em geral, quem ouve as vaias na Ressacada, jura que o Avaí está brigando para não cair. O time está jogando bem? Claro que não, mas discordo do tom dos comentários que tudo está errado. A própria diretoria (que têm pisado muito na bola esse ano, vide questão dos sócios) tem demonstrado pró-atividade e devemos ter ainda reforços para esse estadual.

A própria questão do Fig... estar voando no returno, que a imprensa começou a vender e nós estamos embarcando nessa. Onde isso está ocorrendo? Cinco jogos no returno, dois fora, não ganhou nenhum tendo tomado um passeio do Ibirama, que se o atacante não perde dois gols pelo menos embaixo da trave, teria sido uma sacola. Em casa, ganhou do Brusque, do JEC ( que ganhou uma partida no sufoco no returno apenas) e do Metropolitano. Voltando ao Avaí, que é o que interessa, na MINHA opinião:

Destaques positivos
Zé Carlos é melhor que o Martini. Patric é melhor que os vários laterais direitos que testamos ano passado. Gabriel e Émerson Nunes são melhores que Augusto, Turato ou Rogélio. Vandinho é melhor que o William. Thiesen, apesar de estilo diferente dos nossos volantes anteriores, têm um futuro promissor.

Destaques negativos
Eltinho não tem substituto. Batista não jogou nada no seu retorno. Está jogando com o currículo. Johnny e Thiesen titulares. Davi e Robinho não emplacaram. Medina é isso aí. Não se enganem.
Leonardo não têm condições de ser titular do Avaí. Sávio não disse a que veio ainda.

Neutros
Rudinei e Caio: ? Temos alguns jogadores para estrear ainda: Marcinho e Fredson. Podem virar um diferencial ou um grande mico. Roberto é muito útil, mas para jogar com espaço. A torcida acha que todo jogo ele pode definir. Contra o Coxa e ontem tivemos exemplos disso. Saudações avaianas. Quarta estaremos lá. E vamos vencer. Cesar"

Tudo invertido

| 0 comentários
GuilhermeUma tarde infeliz para o Avaí, com uma qualidade de futebol abaixo da média mas com muita emoção para o pessoal da “vila” de Zimba. Fomos ao Ninho da Águia com aquela formação básica de sempre apenas alterando alguns jogadores. Medina assumiu a ala direita, Rudnei na cabeça de área e nossa zaga foi reestruturada com Clayton, Emerson Nunes e Emerson.

Primeiro tempo
Iniciamos o jogo tocando a bola no gramado (onde na verdade ela quica), com nossas ações concentradas em nossos meias e as armações de jogadas ficavam por contra de Caio e Sávio, sendo que o 10 loiro era o jogador que mais levava perigo. Depois de perder algumas oportunidades de gol perdemos também Sávio, machucado, com Vandinho entrando em seu lugar

O time caiu, ainda fazíamos pressão, mas sem qualidade suficiente para levar perigo ao gol do Imbituba que contra-atacava seguidamente. Para quem gosta de frases prontas “quem não faz leva”, mas como levamos? Numa falta invertida, na qual o atacante deles se joga na frente de Emerson (obstrução) e o assoprador favorece o réu. Para completar a lambança, na cobrança da falta o jogador que testa para as redes estava totalmente impedido: 1x0. Sentimos o golpe? Que nada, continuamos jogando do mesmo jeitinho e o time deles ainda cresceu e passou a distribuir lambadas.


Segundo tempo
O domínio era avaiano, ou pelo menos tentávamos dominar, mas sem muitas conclusões ao gol. A bola não chegava com qualidade a Vandinho e Leonardo. Chamusca abriu o time sacando Clayton e Batista e colocando Robertoe Robson. Pouco adiantou, quem criou alguma oportunidade de gol foi Caio e Leonardo. Os constantes chuveirinhos não resultaram em muita coisa, mas não tínhamos outra jogada, nossos meias não encostavam e Roberto tentava criar solitariamente.

Fato é que principalmente no segundo tempo foi um bumba meu boi generalizado. Emerson virou atacante, na zaga ficaram Emerson Nunes e Rudnei em uma disposição tática interessante, pois estávamos com 3 atacantes + um intruso (Emerson), dois meias , dois alas apoiando e atrás Emerson Nunes e Rudnei. Desarrumou tudo e não conseguimos nada. Nem podia mermo.


Terceiro tempo
Próximo jogo é o clássico. Jogadores desanimados? Sem essa. Se alguém do elenco estiver desanimado para jogar o clássico, manda embora. Agora é “sangue nozóio” para ganhar essa partida e encaminhar a classificação. Nada mais posso esperar desse elenco numeroso e cheio de “revelações”. Sds Azurras, Guilherme Quadros

Mais que três pontos

| 15 comentários
Perdemos o jogo, a invencibilidade e a confiança. Ainda embalados pelos números emblemáticos desse segundo turno chegamos a esquecer por alguns momentos a instabilidade desse Avaí que não consegue despertar a confiança de seu torcedor desde o início do catarinense.
O jogo contra o Coritiba nos deu um bom parâmetro e algumas certezas se agigantaram. A mais forte é que até temos um bom elenco para terras Barriga Verdes, mas para sonhar com algo a mais para além das fronteiras do estado é preciso contratar. E não temos mais tempo para apostas.

Perdemos de 1x0 para um time acima da média da nossa competição regional. Pecamos nas finalizações do primeiro tempo, coisa comum desde há muito. O "homem de preto" tratou de auxiliar na volta da emoção ao campeonato validando um gol irregular, até porque um Avaí disparado na tabela não seria muito interessante para a coletividade do futebol catarinense. Daí em diante apitou bem.
Embora o comentarista da TV alertasse para o erro da estratégia avaiana no segundo tempo (chuveirinhos e mais chuveirinhos) enxerguei isso com absoluta normalidade. Para colocarmos a bola no chão seria necessário ter jogadores pensantes, com qualidade de passe e lançamentos. Temos? Não. Então tem que ser na base do chuveirinho mesmo.

Graças à nossa "gordurinha" acumulada terminamos essa 5ª rodada ainda na liderança. Mais emoção para quarta-feira, no clássico, onde essa mesma liderança estará em jogo. É uma boa oportunidade para que alguns jogadores avaianos (até agora travados) possam desencantar começando por calçar as sandálias da humildade. Invicto no segundo turno, agora só o Imbituba, ok? E antes que me esqueça: não, essa derrota em Imbituba não acrescenta um grama de motivação para o clássico. Pensamento positivista tem limite. Poupem a inteligência do torcedor.

Leão no ninho da águia

| 0 comentários
A 5ª rodada do returno teve início ontem com Criciúma 2x1 Juventus e Trombense 3x0 Metropolitano. Independente do resultado de hoje em Imbituba, o Avaí terminará essa rodada na liderança do estadual. Isso não significa que a responsabilidade será menor no sul do estado, uma vez que uma vitória azurra terá excelentes dividendos emocionais para o clássico de quarta-feira.

Entra e sai
Vandinho começa no bancos de reservas, atitude preventiva face ao seu histórico de lesões nesse ano. Gabriel, em tratamento de lesão, e Rodrigo Thiesen, suspenso, estão fora. Leonardo retorna ao comando de ataque e no mais é entrar no Ninho da Águia sem crises de identidade. O Imbituba é a boa surpresa desse campeonato e mesmo nos 4x2 que tomaram aqui na Ressacada o jogo não foi assim tão fácil para o Avaí. Se Chamusca não tiver nenhuma visão sobrenatural antes das 17hs o time deve iniciar com Zé Carlos; Rafael, Emerson Nunes e Emerson; Patric, Rudnei, Batista, Caio e Uendel; Sávio e Leonardo.

Se der tudo certo

Três pontos hoje mantém a boa distância dos demais adversários, praticamente nos garante no quadrangular do returno e nos deixam ainda mais tranqüilos para enfrentar o velho freguês rosado de sempre na quarta-feira. O jogo de hoje não é nenhum mamão-com-açúcar, mas também não serve para um bicho de sete cabeças.

Essa é a Cara

| 0 comentários
Através do blog oficial do Avaí somos informados que a Diretora Social do Clube, D. Nesi Furlani, está comemorando seu aniversário no dia de hoje. Com 73 anos de vida completamente azulada, D. Nesi passou a se dedicar ao clube do seu coração (e da cabeça, orelha, pescoço, braços etc) em 2002 quando encampou a área social da Ressacada no mesmo dia em que João Nilson assumiu a presidência do Clube.

Ao longo desses anos ouço falar dos pilares do Avaí. De tempos em tempos essas bases de sustentação são lançadas sobre um grupo de jogadores, uma comissão técnica, a membros da diretoria, parceiros, enfim, profissionais que garantem o sucesso do clube em determinadas fases. Por sua atuação dentro do Avaí, seu carisma e a capacidade inesgotável de querer bem, acredito que na coxia de todo esses personagens que estamparam capas de jornais, estava o carinho de Nesi Furlani.


É uma louca avaiana, insana, apaixonada pelas cores e pessoas que fazem parte do universo azurra. Perdoe-me o ufanismo, mas amo essa mulher de paixão. Aliás, quem a conhece não tem outra alternativa. Beijão, Nesi.

Avaí "voando" em campo

| 11 comentários
Pelo menos na capa da 7ª edição da Revista do Avaí. Jogadores literalmente flutuando no gramado. Isso sem falar na escuridão na metade dos rostos de todos eles. Olhando para esse legítimo desastre do Photoshop só me resta lançar todas as esperanças no conteúdo da revista. Toca.

O Paitrocínio que salva

| 6 comentários
É de se lamentar a incapacidade administrativa que assola o futebol brasileiro. Apesar de ser o esporte número um do país e gozar de ampla cobertura de todas as mídias, é um negócio que se nega a largar as fraldas da competitividade. Parte desse cenário nebuloso se deve ao aspecto excessivamente emotivo que cerca esse ambiente empresarial. A bela frase "Futebol é paixão" teima em extrapolar os gramados e arquibancadas indo parar nas decisões estratégicas dos clubes.

Me divirto com o jogo de palavras da vida cotidiana. Com muita criatividade e uma pitada de desfaçatez nos acostumamos a camuflar o verdadeiro significado das coisas. Se prostituta agora é garota de programa e caixa dois se transformou em recursos não contabilizados, no futebol o apadrinhamento recebeu o título de parceria. Assim sobrevivem os clubes, às custas de seus padrinhos, normalmente pessoas muito mais capacitadas na arte de gerar e gerenciar lucratividade.

Um exemplo clássico é o Sr. Antenor Angeloni que há pouco assumiu a presidência do Criciúma. Mal sentou na cadeira do Heriberto Hulse e já foi colocando a mão no bolso. Lá se foram R$3 milhões para todo sorte de pagamentos atrasados. Entrando nessa onda de rebatismos modernosos, poderíamos dizer que o Criciúma firmou uma parceria com a A.A. Sports ou Angeloni Participações, como você preferir.
A parcela de ironia desse movimento desesperado de sobrevivência é que se por acaso algo der errado apela-se para a paixão do torcedor, para sua fidelidade e lança-se uma campanha com um título que gere culpa e responsabilidade paternal. Ganha-se uma sobrevida e no ano seguinte repete-se a fórmula. E no ano seguinte também, e no outro... no outro... no outro... Fonte base FutebolSC

Torcedor é um cara esquisito

| 1 comentários
Mal informado também. No jogo contra o Coritiba pude ouvir muitas vaias direcionadas a Péricles Chamusca por não ter entrado jogando com Vandinho. No grupo de pessoas à minha volta, renentos ao estilo Miguelzinho, entoaram um coro de burro assim que o treinador entrou em campo.
Parece que esqueceram do que aconteceu à Vandinho com apenas 25min em seu jogo de estréia no Avaí. Nesse domingo, contra o Imbituba, Vandinho também será poupado, começará no banco, o que considero uma decisão acertada. Não há uma boa razão para essa sangria desatada.

Em compensação teremos o retorno de Leonardo. A que ponto chegamos, comemorar o retorno dessa “eterna promessa”. É que poderia ser pior. Já pensou ter Jandson novamente lá na frente?
Com Rodrigo Thiesen cumprindo suspensão automática e Gabriel ainda no DM a tendência é que o Avaí vá à campo com Zé Carlos; Rafael, Emerson Nunes e Emerson; Patric, Rudnei, Batista, Caio e Uendel; Sávio e Leonardo. No banco ficam Renan, Léo San, Jhony, Medina, Davi, Roberto e Vandinho. Fonte base FutebolSC

É estranho mesmo

| 3 comentários
Coluna de Polidoro Júnior (jornal Notícias do Dia)
Luciano Corrêa, gerente administrativo do Avaí, disse que “o horário atrapalha” como forma de justificar a ausência do torcedor no estádio. Segundo ele, o ideal seria entre 20h30min e 21h, justamente o horário noturno preferido quando a RIC transmitia o Campeonato Catarinense. Agora, meu jovem, não adiantar chorar.


Estranho
A média de público do Avaí está próxima de seis mil pagantes, mas o presidente do Avaí confirmou que o quadro associativo é composto por 12 mil sócios em dia. Ora, presidente, onde estariam os outros seis mil associados? Zunino revelou que eles preferem pagar e escolhem o jogo que desejam ver no estádio. Por isso, dizem que a torcida do Avaí é formada, em sua maioria, por uma grande e abonada elite.

Notinha do blogueiro
: no último dia 09 Polidoro Júnior adiantou que gravações em poder da Polícia Federal provariam um escândalo sem precedentes no futebol catarinense e que envolveria até um presidente de clube. Continuamos aguardando a divulgação desse nome, Poli.

Negócios à vista

| 4 comentários
O novo consultor de Marketing do Avaí, João Henrique Areias, fez uma postagem em seu blog onde relata suas primeiras impressões no contato com o clube. Comentarei a cada parágrafo.

Após 5 semanas convivendo com os colaboradores e a diretoria do Avaí, pude entender como este clube saiu da série B em 2008 e alcançar o sexto lugar no Brasileiro de 2009.
Tradução: um socialzinho básico. Antes de dar os primeiros socos é fundamental que a gente acaricie o cliente senão ele magoa fácil.

Comandados pelo presidente Zunino, empresário de sucesso em Santa Catarina, um grupo pequeno de funcionários e diretores, com garra, desenvolveram projetos que lhes rendeu o Top de Marketing da ADVB-SC 2009. Agora estão buscando um selo de qualidade organizacional, o ISO 9000.
Tradução: mais um socialzinho, primeiramente afagando o chefe que vai garantir o pagamento e depois os funcionários, aqueles que terão que se virar nos trinta para se profissionalizar em tempo recorde. Se o Sr. Areias for bom mesmo vai ser um Deus-nos-acuda no Carianos.

Bem, estamos ajudando a estruturar o Departamento de Negócios (marketing, comercial e comunicação) e criando alguns novos produtos, como o Clube dos 30, que será detalhado no próximo post. Também estamos buscando uma empresa para dar nome ao estádio (naming rights) e o patrocinador máster do clube.
Tradução: aqui o bicho pega. O texto não deixa claro até onde vai a sua liberdade de atuação. Como está, passa a impressão que terá carta branca para todo esse processo de reestruturação.
Em relação ao Clube dos 30, por enquanto nada pode ser dito, esperemos o próximo post. Me agrada sua disposição na busca de um patrocínio para o estádio e a camisa do clube, ingredientes fundamentais para que se firme a MARCA do clube no mundo dos negócios.

Desafios
Não percebo como será o novo posicionamento da Marcca Comunicação, agência do Avaí, que à princípio foi contratada para realizar essa mesma tarefa do Sr. Areias. Aliás, com exceção da Campanha O NOSSO AMOR É AZUL não vi o dedo da empresa nos poucos trabalhos que foram produzidos desde sua contratação, em junho de 2009.
Acredito que as maiores dificuldades para implantação de um novo modelo de negócios no Avaí serão a baixa especialização dos profissionais em algumas áreas, a inexistência de uma cultura de conversação com o torcedor e o amadorismo que hoje é percebido no trato da informação pertencente ao clube. De qualquer maneira, Sr. João Henrique, mãos à obra.

Terra à vista

| 2 comentários
Terra produtiva é o que esperamos. Graças à máxima de que não é possível nos enganarmos por muito tempo o Avaí arregaçou as mangas e foi às compras, ou empréstimo, como queiram. Com enormes deficiências nas alas, meio de campo e ataque o clube procurou dar uma refrescada em pelo menos dois desses setores. Ainda hoje deveremos ter a confirmação de dois reforços: o atacante Marcelinho e o meia Sandro. O caso de Marcelinho está mais adiantado, tanto que já deve treinar hoje na Ressacada. Para Sandro faltam regularizar algumas pendências.

Atitude
O treinador Péricles Chamusca decidiu não poupar nenhum dos jogadores pendurados em cartões amarelos desse jogo de domingo em Imbituba. Segundo ele essa partida vale a mesma pontuação do próximo jogo, o clássico. Concordo.

Transparência
O menino dos olhos da Vila Belmiro pode estar de malas prontas para o futebol inglês. O atacante Neymar, de 17 anos, pode ser negociado com o Chelsea R$62,7milhões. Duas coisas me chamam a atenção nessa notícia. A primeira é que todos já sabem dos valores dessa negociação. A segunda é que Neymar não vai de graça. Legal, isso. Fonte base Globo e Infoesporte

Cabra macho

| 7 comentários
Vejamos. Ainda no intervalo Chamusca juntou coragem e providenciou duas alterações: Patric e Cristian cederam suas vaguinhas para Medina e Vandinho. Entisicado que estava, nosso treinador viu que Rafael estava com dores no braço e cangaceiramente já foi abrindo mão de seu querido 3-6-1 e pôs Roberto só pra ver no que dava esse tal de 4-4-2. Só não vou dizer que arriscou o pescoço porque o mesmo já estava na degola. Funcionou. Empatamos. Viva Chamusca.

Fim de feira
Pra comemorar o fim da relação incestuosa entre PPP e os Barbies do Estreito, eis que a próxima pelada terá o custo de R$5. Pensei em dar uma gargalhada, mas aí lembrei dos preços da Ressacada e me entreguei aos prantos. Nosso telhado é de vidro, daqueles bem caros.

Mui amigos
A direção do CFZ Imbituba decidiu ser “querida” com os torcedores azurras. Para o jogo de domingo contra o Avaí destinará 1000 lugares ao invés dos tradicionais 300. Acho que querem fazer caixa e evitar uma outra greve dos jogadores. O problema é que a nossa fama de milionários se espalhou pelo estado e os caras aumentaram o valor dos ingressos de R$30 para R$40. Já não ia. Agora, então.... Foto Edu Cavalcanti

Sem falsas ilusões

| 6 comentários
Era o que temíamos. Embora absoluto no campeonato catarinense, o Avaí não vinha apresentando um futebol que convencesse seu torcedor de que é um time apto a disputar a Copa do Brasil, Sulamericana e a série A de 2010. O empate de ontem em 1x1 com o Coritiba, do jeito que foi, confirmou que com esse elenco ficaremos dependendo dos milagres de N. Sra. da Ressacada.

Primeiro tempo

Visivelmente nervoso diante do bom time do Coritiba, a equipe azurra até conseguiu equilibrar o jogo nos minutos iniciais. Depois de perdermos pelo menos duas oportunidades claras, tomamos o gol aos 19min. A partir desse momento o que era nervosismo transformou-se em pânico. Profusão de passes errados, marcação frouxa, alas travados, meias de ligação sumidos, volantes desorientados, atacante isolado, enfim, um bumba-meu-boi. Felizmente conseguimos segurar esse placar nos primeiros 45min.

Segundo tempo
Perdido por um, perdido por mil. Voltamos com Medina e Vandinho nos lugares de Patric e Cristian. O time tentava evoluir mas encontrava grandes dificuldades em vencer a compatação armada pelo meio de campo do Coxa. Caio seria o homem com a função de furar esse bloqueio mas o “motorzinho” avaiano estava com sérios problemas de vira-brequim, ou melhor, criatividade.
O que falar dos contra-ataques perigosíssimos articulados pelos velozes Renatinho, Marcos Aurélio e Rafinha? Um sufoco... que só não virou drama porque Zé Carlos soube fechar sua meta e Vandinho assinou uma verdadeira pintura aos 43min, num voleio-sem-pulo-na-diagonal que justificou a presença dos 6.939 espectadores. Lindo.

Terceiro tempo
Temos motivos de sobra para comemorar esse empate. Repito, por pouco não fomos eliminados ontem mesmo. Vimos atuações irreconhecíveis de Uendel, Patric, Batista, Rodrigo e Caio.
No jogo da volta no próximo dia 31 o Coritiba joga por qualquer vitória e pelo empate em 0x0. Se serve de alento ao leitor do blog, não acredito que o Avaí consiga repetir uma atuação tão ruim assim lá no Couto Pereira. Podemos não nos classificar, mas por certo não será com tão pouca qualidade. De qualquer maneira, lembre-se, esse avaí faz côsa.

Sombrio, venha conhecer

| 3 comentários
Situada no litoral catarinense, o município de Sombrio tem esse nome originado da época em que os tropeiros saíam de Laguna com destino ao Rio Grande do Sul e descansavam sob as sombras das grandes árvores.
Os 22.962 habitantes quase caberiam na Ressacada, que ontem a noite no jogo mais importante do ano recebeu parcos 6.939 torcedores. Nem os "exibidos" de Zunino foram.
A cidade de Sombrio possui ainda
cinco grutas localizadas às margens da BR-101 e que contam com restaurante, banheiros e bares. Na entrada das grutas há orquídeas, bromélias e lianas. Enfim, esse é um lugar bem interessante para se conhecer, passar férias e realizar pré-temporadas de clubes que sonham em conquistar o Brasil com um elenco que não ultrapassa os limites do estado.

A que ponto chegamos

| 3 comentários
Após o título estadual de 2009, seguido da melhor campanha de um clube catarinense na série A e com números positivamente contundentes em 2010, o inusitado acontece. Blogueiros precisam abrir espaços para pedir que o torcedor avaiano não vá à campo para vaiar.

Torcida ESPETACULAR, que deslumbrou o país com sua cordialidade em relação aos adversários e que criou o Ressacada On Fire, um show jamais visto antes em SC.

A harmonia entre o clube e seus fiéis foi quebrada, a confiança está abalada, a paixão começa a tomar o rumo da indiferença. Quem poderia imaginar esse cenário no dia de um jogo decisivo como o de hoje? Quem?

O jogo, a comparação e flores

| 1 comentários
O que teremos nessa noite é o jogo mais importante de Avaí e Coritiba em 2010. Com hegemonia absoluta em seus respectivos estados, ambas as equipes querem passar para a próxima fase da competição atestando para seus torcedores que coisas melhores estão por vir até o fim do ano. O Coxa quer subir para a série A e o Avaí provar que a campanha do ano passado não foi sorte de principiante. Jogão de bola que “deveria” lotar a Ressacada.

A comparação
Jogador de futebol brasileiro não sabe lidar com as palavras, essa é a regra. A bobagem da vez é do volante reserva Andrade do Coritiba que fez uma declaração típica de quem fugia da escola para os campinhos de pelada: “Com certeza, o Coritiba pela estrutura que tem, pela história que tem, é maior que o Avaí”. Obviamente o moço não disse nada de pecaminoso e está aí o mercado do futebol que precifica com um intervalo do tamanho de um abismo tudo o que está relacionado à Avaí e Coritiba. O que Andrade esqueceu é que do outro lado também há companheiros de profissão que se deixam levar facinho, facinho pela estratégia emocional de se colocar essa manchete no mural do vestiário antes do jogo. Obrigado, Andrade.

Flores
Vivemos num país que envergonha. Envergonha não apenas pela capacidade ilimitada de exercer a desonestidade como fazer vistas grossas a ela. Junte a essa gosma moral o tempero da impunidade e temos institucionalizada a cultura da maracutaia. Eu e você, leitor, estamos nesse contexto aí, seja por meio de uma carradinha de brita em troca daquele votinho, uma parada básica na vaga dos portadores de necessidades especiais ou alugando carteirinhas de sócio pela metade do preço.

Nesse imbróglio surgido ontem sobre a tentativa de extorsão de Zunino na série B de 2008 apenas uma coisa me chamou a atenção: os elogios que se seguiram à atitude do presidente avaiano de não aceitar tal proposta. A que ponto chegamos, parabenizamos uma pessoa por ela ter feito o óbvio. Pronto, ninguém pode dizer que não falei desse episódio. Agora vamos todos para a Ressacada logo mais à noite.

Avaí x Coritiba, por eles

| 0 comentários
Coxa encara adversário da primeira divisão em Floripa
Matéria editada do portal Paraná Online

Tirando os clássicos contra Paraná e Atlético, onde os confrontos são equilibrados por natureza, o Coritiba tem o primeiro grande jogo da temporada. Encara uma equipe de Série A e por isso montou uma rede de espionagem para tentar surpreender o Avaí hoje, às 21h50, na Ressacada. Além de ter informantes no próprio elenco, o Alviverde mandou “arapongas” para ver de perto o time catarinense, que fez sucesso no Brasileirão do ano passado. No entanto, como o regulamento da competição prevê, o Coxa não descarta a possibilidade de vencer por dois gols de diferença e seguir em frente sem precisar do jogo de volta.


“A gente está numa expectativa enorme de fazer um bom jogo lá e estudando a equipe do Avaí a gente vê que é uma equipe que vem num bom momento, liderando o segundo turno do campeonato de Santa Catarina. É uma partida difícil e eu prefiro confronto dessas equipes de mesmo nível porque tem tudo para ter dois bons jogos”, projeta o técnico Ney Franco. Mas e a possibilidade de vencer por dois gols de diferença e eliminar o jogo da volta? “O regulamento dá essa situação, mas o nosso pensamento é que temos dois jogos para definir uma classificação. Se tivermos a oportunidade de fazer dois gols vamos correr atrás disso”, pondera o treinador.

Por isso, espionagem é o que não faltou para esmiuçar os catarinenses. “É um time que a gente está conhecendo bem, a gente estudou os cruzamentos da Copa do Brasil e começamos a acompanhar o Avaí”, revela Ney. De acordo com ele, além de DVDs com partidas do Leão da Ilha, os auxiliares Edison Borges e Eder Paixão estiveram em Florianópolis vendo de perto o adversário. “É uma equipe que vem jogando com três zagueiros e creio que não vá mudar nesse confronto”, avalia o treinador alviverde. Mas tem mais informações para serem passadas ainda antes da equipe entrar em campo. (...)

Zunino esclarece tentativa de chantagem

| 1 comentários

A notícia mais importante do dia

| 4 comentários
Nessa manhã saí do ar. Bastou dar um pulinho ali em Tubarão e quando volto encontro a caixa postal abarrotada de e-mails (mentira, só dois) cobrando desse blogueiro um posicionamento em relação aos possíveis escândalos que estariam por eclodir em terras Barriga Verdes.

No dia 09 um jornalista da RIC adiantou que gravações em poder da Polícia Federal provariam um escândalo sem precedentes no futebol catarinense e que envolveria até um presidente de clube. Alguém foi citado nominalmente? Não.

No dia 15 um jornalista da RBS lançava um tira-gosto dando conta de que um jogador avaiano estaria afogando suas mágoas (ou alegrias) na mardita cachaça noite sim, na outra também.
Alguém foi citado nominalmente? Não.

Hoje foi a vez de um profissional de comunicação da TVBV dar o furo de que aquela gravação citada pelo colega da RIC seria uma denúncia de um presidente contra um árbitro que teria tentado extorquir seu clube. Alguém foi citado nominalmente? Sim, João Zunino.

Aproveito essa "deixa" para reafirmar que o blog Avaixonados pretende ser um espaço de opinião e não de notícias. Para correr atrás de informações temos os profissionais específicos dessa área, que estudaram para isso e dessa labuta tiram o seu pão de cada dia.
Sob pena de dar "pérolas aos porcos" não me permito correr o risco de investir tempo em
comentar assuntos que por hora não passam de especulações. Credibilidade é uma daquelas coisas que se semeia a vida toda e que pode-se perder em um ou dois lances. Dodô que o diga.

A notícia mais importante do dia é que amanhã temos um jogaço na Ressacada. Um jogo daqueles em que podemos dar o start para uma virada de página radical nesse clima mocorongo que tomou conta do universo avaiano em 2010. Estádio lotado, futebol de série A, vitória irretocável e tudo isso só para quem for avaiano. Xô, fofoca!