Cryptotiba

| 4 comentários
Tassio
Após 49 dias ou 11 jogos de invencibilidade no campeonato brasileiro perdemos o jogo contra o Coxa na casa deles no último sábado. Nada de apavorante diante da grande partida que o adversário promoveu, jogando um futebol com pouquíssimos erros, muita qualidade no passe, e com uma marcação quase perfeita que foi homologada pela falta de inspiração do Avaí em campo. E não podemos nos esquecer do protagonista Marcelinho Paraíba que engoliu a bola.

Nenhum culpado
Não achei que tenha sido culpa do técnico Silas, como alguns que entendem muito mais de futebol que eu acharam. A formação inicial foi quase a mesma de todos os jogos, somente com as alterações promovidas em função dos desfalques. Tampouco algum jogador em específico merece ser responsabilizado pela atuação abaixo da média. Futebol é assim mesmo, ninguém ganhará todas as batalhas.
O grande “problema” é que nos acostumamos com as vitórias e, de qualquer forma, já escrevemos o nome na história do campeonato no primeiro ano em que retornamos.

Você sabia...
...que por mais derrotas e resultados pífios de um certo time na série B as coisas sempre estarão bem e jamais ocorrerá uma crise pelas bandas de lá? Vencer o último colocado em casa com dois jogadores a mais e mediante um gol impedido é para poucos. Parabéns por mais uma conquista mirabolante.

Ajustadinha aqui e ali A semana é de apertar os parafusos que se afrouxaram e de calibrar os pneus murchos para que domingo, contra o colorado gaúcho, entremos em campo afinados desde o hino nacional (sai pra lá Vanusa) até o apito final. Meu palpite é 2 a 0 Avaí e a famosa “Ressacada ON FIRE” como sempre deve ser.

Tássio Leonardo.

Avaí para dez países

| 0 comentários
A volta do Avaí à primeira divisão do Campeonato Brasileiro será mostrada no PFC Internacional para dez países. O documentário "Vamos subir Leão" irá ao ar no dia 1º de setembro, quando o clube completará 86 anos. O programa mostra o drama vivido em 2004, quando o time deixou a vaga escapar ao ser derrotado pelo Fortaleza por 2x0. Um gol teria classificado a equipe à elite do futebol nacional naquela ocasião.

Dirigentes e jogadores "narram" a trajetória do Avaí na Série B do ano passado, que marcou a volta à principal divisão do país depois de 30 anos. A atração também mostra os principais gols da campanha vitoriosa de 2008. Com uma campanha surpreendente, o Avaí ocupa atualmente a sexta colocação na temporada do Nacional, com 34 pontos conquistados em 22 jogos. Máquina do Esporte

Avaí e outras coisinhas

| 3 comentários
Baixas
Perdemos Léo Gago para o jogo contra o Internacional (terceiro cartão amarelo). Isso significa que muito provavelmente teremos o deslocamento de Marcus Winícius para essa função, a de volantão. Fernando Bob, aquele que seria o substituto natural do Gago, se machucou no amistoso contra o sub-20 Uruguai e por isso está fora de cogitação. Além destes, William deve ficar no DM por mais uma semana, no mínimo. Luis Ricardo pode permanecer no ataque. Oremos.

Altas
Felizmente temos a volta de Emerson e Rafael, a dupla de zaga que fez uma falta tremenda no jogo contra o Coxa. Tendo Taison, Alecsandro e cia pela frente, o sistema nervoso da nação azurra agradece. Depois que recobrarmos o fôlego dessa pedreira, aí a gente "relaxa" com o São Paulo, logo ali num campinho chamado Morumbi. Série A tem disso, o que é ótimo.

Silas
Nosso técnico não acredita que faltou atenção na marcação de Marcelinho Paraíba no jogo do Couto Pereira. Segundo ele o “de cabelinho amarelo” é um cara muito difícil de se marcar. Só que ouvi a declaração de Silas no fim do primeiro tempo reclamando da liberdade do Paraíba, o que não mudou muito no segundo tempo. Traduzindo: Silas deve ter dado a bronca do ano na galera, mas aliviou nas declarações públicas. Discreto e inteligente como sempre.

Evando
Diferente do Avaí que ocupa um confortável 6° lugar na Série A, a Ponte Preta amarga a 8ª colocação na série B, o que significa crise. Sinal disso é que Finazzi, atacante de 36 anos, pode estar retornando ao time de Campinas, mesmo já tendo Evando, Danilo Neco, Lins e Márcio Mexerica para a mesma posição. Pergunto: será que Evando está feliz com a opção que fez?

Avaí e Inter, uma semana de expectativas

| 2 comentários
A 22ª rodada do Brasileirão foi concluída agora há pouco. Com os resultados desse domingo o Avaí caiu uma posição, estando agora na 6ª posição, com 34 pontos conquistados.

O grande destaque da rodada ficou por conta do Internacional, que recebeu e massacrou o Goiás no Beira-Rio, aplicando uma sonora goleada de 4 a 0, o que lhe garantiu a 3ª colocação com 37 pontos. O Colorado enfrenta o Galo mineiro nessa quarta (jogo atrasado) e pode encostar no líder Palmeiras, hoje com 41 pontos.
O Inter jogou com Lauro, Bolívar, Índio (Danny Morais, Fabiano Eller e Kléber; Danilo Silva, Guiñazu, Magrão (Glaydson) e Giuliano; Marquinhos e Edu (Bolaños). Esse é o nosso próximo adversário no domingo, às 18:30hs.

A semana promete ser de muita expectativa para a nação azurra, que sabe que seu time enfrentará um dos favoritos ao título de Campeão Brasileiro de 2009. A Ressacada estará lotada e das arquibancadas virá uma das festas mais bonitas já vistas em SC. Está tudo preparado.

O Coxa ganhou

| 5 comentários
Pode parecer um título óbvio esse que escolhi, mas dizer que O Coxa ganhou faz jus ao melhor futebol apresentado por nosso adversário. Injusto seria dizer que O Avaí perdeu. Não podemos nos esquecer que do outro lado havia um time muito bem informado sobre a "sensação do campeonato". Acabou a moleza, o Avaí não é mais o azarão, todos o respeitam.

O cara
Foi o jogo de um homem só, Marcelinho Paraíba, o grande culpado da noite. Todas as jogadas passaram por ele e, estranhamente, não recebeu uma marcação especial do primeiro ao último minuto do jogo. Alertas de Silas não faltaram, o que faltou mesmo foi cumprir as determinações do comandante.


O jogo
Até o primeiro gol do Coritiba, aos 20min, o Avaí era soberano em campo. Depois de uma bobeira de nosso meio, o “culpado” colocou a bola nas redes e o equilíbrio foi a tônica até o final dos primeiros 45min. Apesar das boas oportunidades criadas, nem de longe repetimos as últimas atuações. Com o 2° gol logo no 1° minuto da etapa final, após uma saída equivocada de Martini e uma desatenção do zagueiro Augusto, a coisa descandou. Ficamos atordoados e com pouco poder de reação. Silas até tentou tres alterações ofensivas, mas nada que aditivasse a equipe de forma efetiva. Aliás, isso me lembra que errei ontem ao afirmar que as ausência de William, Emerson e Rafael seriam plenamente supridas por seus substitutos. Fizeram muita falta. Isso é bom pro blogueiro aqui descer do salto e lembrar que ainda somos um time pequeno. Nosso elenco é bom mas ainda não somos um Real Madrid.

Marquinhos, bem marcado e pouco inspirado, não passou de um coadjuvante em campo. Luiz Ricardo provou que como atacante é um ala regular. Marcus Winícius, que já sabiámos ser um volante instável, mostrou que não é zagueiro. Não entendi a substituição de Léo Gago, que acabou fragilizando ainda mais a marcação em nosso meio de campo. Se o Avaí empatasse (ou virasse) o jogo, Silas seria considerado gênio. Como isso não aconteceu, podemos dizer que Silas errou.

Fim do mundo?
Nem de longe. Perdemos um jogo em que nosso adversário, jogando em casa, foi superior e mereceu a vitória. Tudo absolutamente normal. Ainda estamos na 5ª colocação geral e podemos perder, no máximo, duas posições no complemento da rodada de amanhã. Domingo que vem tem Internacional, numa Ressacada em labaredas. Aliás, mais de 3mil avaianos no Couto Pereira é algo maravilhoso. Foto Blog Oficial do Avaí

Mais um jogão

| 0 comentários
Tudo pronto para o jogo de daqui a pouco no Couto Pereira. Como vimos no post anterior, Avaí e Coritiba tem cada um os seus problemas para as escalações dos times. A diferença ficará por conta de quem tem mais bala na agulha em termos de elenco.

Se o Coritiba possui a vantagem de jogar em casa, o Avaí joga com a tranquilidade de quem está numa posição confortável na tabela, 5° colocado. A corda está no pescoço do Coxa, que se bobear cai para a Zona da Degola, já que ocupa a 16ª colocação com parcos 22 pontos.
Caso não perca, o Avaí alcança a sua 12ª partida de invencibilidade na competição. Ganhando, podemos até voltar a beliscar o G4 dependendo, é claro, dos demais resultados.

A Nação Azurra está empolgada e promete invadir o Couto Pereira. Segundo informações, cerca de 800 ingressos foram vendidos só na Ressacada e mais de 1.500 nas bilheterias do Couto Pereira. Podemos ter, tranquilamente, mais de 3.000 avaianos nas arquibancadas do Alto da Glória. Foto montagem Coxanautas

Ziczira lá e cá

| 3 comentários
Toc, toc, toc
Coincidência ou não a última derrota do Avaí foi na longínqua 11ª rodada para o Botafogo, que na época era comandado por Ney Franco. O retrospecto entre as duas equipes, apesar de apertado é favorável para o time paranaense. Em 10 partidas já realizadas na história dos dois clubes, o Coxa venceu 4, empatou 3 e perdeu 3.

Problemas no Avaí
Para o jogo deste sábado, Silas não poderá contar com os zagueiros Rafael (machucado) e Emerson (suspenso) e com o atacante William, também machucado. Luiz Ricardo se recuperou de seu problema muscular e deverá entrar jogando. O time provável será: Eduardo Martini, Fabinho Capixaba, Anderson, Juninho, Augusto e Eltinho - Ferdinando, Léo Gago, Marquinhos e Muriqui - Luiz Ricardo.

Problemas no Coritiba

O atacante Marcos Aurélio, suspenso, dará lugar à Thiago Gentil. O volante Jaílton também está suspenso e o meia Carlinhos Paraíba sofreu uma lesão. Dessa forma, o técnico Ney Franco escalou Renatinho no meio-campo e recuou Marcelinho Paraíba para este setor. O ataque terá Ariel Nahuelpan e Thiago Gentil. A última mudança é no gol posição em que o técnico Ney Franco definiu Edson Bastos como titular até o fim da temporada. Ney Franco acredita que com essas mudanças e uma forte marcação, o Coritiba tem chances de vencer. Assim, o Coxa vai a campo com Edson Bastos, Rodrigo Heffner, Jeci, Pereira e Rodrigo Crasso; Leandro Donizete, Pedro Ken, Renatinho e Marcelinho Paraíba; Thiago Gentil e Ariel.

Nota: você deve estar se perguntando o que essa foto que ilustra o post tem a ver com Avaí x Coritiba. É que amanhã todos querem a Vitória, pô! ( segunda vez esse ano que uso essa desculpa infame)

O Avaí segundo eles

| 0 comentários
Dando uma espiadinha no Blog do Torcedor do Coxa na Globo.com me deparei com uma análise que eles fazem do Avaí. O que me chamou a atenção foi o fato de que o respeito, definitivamente, bateu às portas de nossos adversários. Somos vigiados, analisados e, quem diria, temidos. Vamos e venhamos, isso é absolutamente natural em relação à um time que não sabe o que é perder há 11 partidas. Segue alguns fragmentos de texto do esperto Luís Gustavo Gregório, o zoiúdo torcedor curitibano:

Time
(...) o Avaí vem a Curitiba como a sensação deste Campeonato Brasileiro. (...) o segredo do “Leão” está no entrosamento de sua equipe, que tem uma base formada desde o ano passado e buscou se reforçar na dose certa; outro ponto foi a aposta no trabalho de Paulo Silas, que mesmo com a lanterna da competição na décima rodada e tendo sua equipe apontada pelos críticos como candidata certa a retornar para série B, foi prestigiado pela diretoria e seguiu no comando (...). Silas monta sua equipe praticamente num 3-6-1. Busca povoar seu meio-campo quando está sem a bola, mas quando tem a posse dela avança 2 jogadores e forma um 3-4-3 muito ofensivo, sempre com a aproximação de Marquinhos ou Léo Gago pelo meio e um dos alas. (...).

Olho nele
Muriqui, é o artilheiro avaiano com 7 gols no campeonato. Fechou o 1º turno como o jogador que mais sofreu faltas. Faltas essas, que se muito perigosas nas cobranças de Marquinhos, Eltinho e Léo Gago. Muriqui usa bem sua velocidade e busca sempre o drible sobre o adversário, caindo geralmente pelo lado direito da defesa adversária.

Atalhos para o Verdão
Quem for ao Couto Pereira não verá um jogo espetacular no aspecto plástico, com jogadas de efeito e dribles desconcertantes. Porém, verá quase um jogo de xadrez no plano tático e uma “guerra” na disputa pela bola e cada palmo de campo. O 4-4-2 que Ney Franco vem usando pode ser o ideal para marcar e atacar o Avaí (...). Será vital não se desorganizar, seja ganhando, perdendo ou empatando durante o jogo. Essa é também uma característica forte dos comandados de Silas, independente do placar seu time é obediente taticamente.

Véspera da invasão

| 2 comentários
Um time diferente
O Avaí encara o Coritiba amanhã em Curitiba com tres alterações: o atacante Roberto entra no lugar de William (com edema no adutor da coxa esquerda), Fabinho Capixaba substitui Luiz Ricardo (com dores musculares) na ala direita e Anderson Luis ocupa a vaga de Emerson (suspensão pelo terceiro cartão amarelo). Normalmente se diria que temos tres desfalques, mas isso não seria verdade no atual elenco. O grande trunfo azurra nesse campeonato tem sido o conjunto e isso inclui os ditos reservas, que de reservas tem muito pouco.

Velocidade
Para o deleite de nossa curiosidade, teremos a oportunidade de ver como o time se comporta com Roberto e Capixaba desde o início do jogo. A tendência é que ganhemos em velocidade e percamos um pouco em termos de segurança. Creio que uma coisa compensará a outra.

Mobilização
Dá gosto de ver a forma como o torcedor avaiano aproveita esse momento do clube. Você viu o que aprontamos em menos de 24hs? Uma invasão sem precedentes à Curitiba. Aos desatentos pode passar uma falsa imagem de ufanismo, bobiça sem sentido ou qualquer outro adjetivo menos elogioso. O que temos é a constatação da grande capacidade que a nação azurra tem de ser feliz. A gente não precisa de muito pra fazer festa e acompanhar o time por tudo que é canto. Não importa se é Maracanã, Ressacada, Augusto Bauer ou Couto Pereira, se tem jogo do Avaí, a gente vai mesmo. Foto Ricardo Duarte

Despedida

| 2 comentários
PricillaCaros leitores, venho através deste post me despedir de vocês. Infelizmente não estou conseguindo conciliar minha vida pessoal e a coluna aqui no Avaixonados. Quando iniciei minhas atividades acreditava (e ainda acredito) que o trabalho do blogueiro é seguido de uma grande responsabilidade perante seus leitores. Um compromisso fiel que perpassa o ato de apenas publicar notícias ou comentar alguns episódios, existe o compromisso (sério) com a expressão da opinião e daquilo que se acredita e, principalmente, o respeito com o leitor.

Por esta razão estou escrevendo meu último texto como colunista deste blog. Senti a necessidade de explicar minhas razões a vocês e não simplesmente sumir. Agradeço a oportunidade que Gerson me proporcionou, aos posts de incentivo aos meus textos e até mesmo as críticas. Estou me afastando das atividades do blog, mas nunca do nosso amado Avaí. Continuo como moderadora da comunidade oficial, organizando as viagens e disposta a bater papo sobre essa nossa grande paixão.

Mais uma vez o meu muito obrigada a todos. Vamo, Vamo, Avaí!

Saudações Azurras

Pricilla S. Testoni.

Invasão

| 3 comentários
Como assim? Invadir Curitiba? Era só o que faltava. Então não vai faltar mais nada, pois é exatamente isso que vai acontecer nesse sábado: a nação azurra vai tomar conta do Couto Pereira.

Depois de colocar 5mil pessoas num treino e mais de 2,5mil no Maracanã ainda na primeira fase do Brasileirão, essa mania acabou se alastrando. A cidade escolhida é a capital paranaense, que deverá receber cerca de 4mil avaianos nesse sábado para acompanhar o Avaí nessa campanha maravilhosa.

É uma grande oportunidade para eu e você sermos testemunhas de um momento inesquecível, único para uma torcida catarinense. Avaí, amado por sua torcida, querido pelo Brasil.

As primeiras do dia

| 3 comentários
Foi bom
Saímos do G4. Calma, isso não é o fim do mundo. Esses tres dias de glamour foram maravilhosos, mas lembre-se que a Libertadores não é a nossa meta, pelo menos por enquanto. Com os empates de Santos e Inter (3x3) e Barueri e Corínthians (2x2) o Avaí ocupa agora a 5ª colocação na tábua de classificação. Credo, tá bom demais.

Goleada do Expressinho
Na noite de ontem, o Avaí enfrentou a seleção sub-20 do Uruguai na Ressacada. Vitória fácil e dolorida do Leão. Fácil porque foi 3x0 ao natural. Difícil porque os uruguaios acharam que estavam numa tourada. Orra, meu, bateram muito. Aliás, falando em Expressinho, você já notou que 100% de nosso banco de reservas seria titular facinho, facinho, em alguns clubes de série b? É, o Avaí não é mais o mesmo e os “outros” também não.

Duplicação
Leio na coluna do Bob de hoje no DC uma notícia esquisita: “O corte de 50% das emendas parlamentares incorporadas ao orçamento da União vai afetar a duplicação da Rodovia Diomício Freitas, no Sul da Ilha de Santa Catarina, em cujo projeto o Avaí está à frente”. Isso pode afetar aqueles R$ 19 milhões disponibilizados pelo Governo Federal para a obra. Para um avaiano com labirintite como eu, pensar muito nessa hipótese é um veneno.

A administração avaiana

| 4 comentários
Será que falta dizer alguma coisa a mais sobre Silas? O que não foi dito ainda? Pensei, pensei e nada. Aí me fiz valer da velha tática da publicidade de se pensar ao contrário. Me dei conta que também no futebol encontramos um vício que é muito comum em relação às obras da administração pública: valorizamos apenas o que os olhos vêem. Não é à toa que os políticos priorizam pontes e ginásios de esportes em detrimento de sistemas de infra-estrutura. Se fica não fica na altura do bago dos zóio, se não é visível, não dá voto, dizem eles. E é verdade mesmo, elaiá.

Silas é cantado em verso e prosa, é assediado, aparece em horário nobre para mais de 50milhões de pessoas, é o grande protagonista do time sensação do campeonato. Tudo isso é mais que justo, Silas é o cara mesmo. Mas acho que estamos esquecendo de um detalhe, daquela obra que apesar de ser fundamental, a gente teima em esquecer ou não querer ver: o trabalho da Diretoria.

Jogo da memória
Você aí se lembra de qual era a nossa campanha até aquele jogo contra o Botafogo, o vice-lanterna da competição? Isso mesmo, o Avaí era o lanterninha e tudo piorou porque ainda conseguimos perder pra eles. Naquela noite de frio cortante e chuvas torrenciais cavamos mais um palmo abaixo do fundo do poço.

Dois dias depois (lembra?) entrou em cena a “administração pública” avaiana, o corpo diretivo azurra que convocou e realizou uma reunião de emergência onde Silas precisou prestar contas, se explicar, dizer o porque de algumas de suas convicções. É, senhoras e senhores, naquela tarde o bicho pegou:


Admin – Vem cá, Silas, que papo é esse de medalhão?
Silas – A gente tamos precisando. Ninguém respeita nóis.
Admin – Tu já olhou pra nossa base, pro nosso banco de reservas?
Silas – Já, mas sei lá. Prefiro não fazer apostas agora. A coisa tá feia.
Admin – Mas é claro. Tu ataca como time grande e se defende também como time grande. Táx vendo a camisa do Atlético de Tubarão aí, por acaso?
Silas – Mas a gente tem que pensar grande.
Admin – Silas, nós tamo na lanterna!
Silas – Côcô faço?
Admin – Inventa um lateral direito, fecha o meio de campo e ressuscita esse ataque.
Silas – E se não der certo?
Admin – Põe a culpa na gente.
Silas – E se der certo?
Admin – Tu e o Galego viram celebridades.

O orgulho do bem

| 5 comentários
TassioRessacada num ritmo frenético de festa, lançamentos de produtos com a marca do Avaí, sinalizadores, fogos e um jogo histórico para o Leão, no qual o time mais querido de SC ganhou sem fazer muita força do desfalcado - mas nem por isso menos tradicional - Flamengo, com o Imperador (cadê?) em campo. Todo aquele clima que foi construído no Carianos não poderia ser à toa. Os Deuses do futebol sabiam que diante dos seus olhos havia um time e uma torcida que superaram muitas adversidades nos últimos anos e nunca esmoreceram ou desanimaram da caminhada rumo ao sucesso futebolístico.

O resultado?
Hoje estamos dentre os 4 melhores times do campeonato mais importante do país que mais ganhou títulos mundiais. Talvez não sejamos classificados para a Libertadores ao final do campeonato, mas já somos vitoriosos por conseguirmos todos esses belos resultados. Independente do que venha a acontecer daqui para frente, o time de Silas merece todos os aplausos por todo o brio que a equipe vem demonstrando até agora. Não existe um avaiano na Terra que não fale sobre o orgulho de ter o coração azul e branco.


Inveja é uma aerdm
Em 3 meses de série A o Avaí faz mais do que um certo time em 7 anos. E ainda temos que ouvir da torcida frigobar que o amontoado deles é melhor que nossa equipe. Haja paciência.

Muriqui
Esse merece algo à parte. Já citei que tenho medo de perder esse jogador por estar jogando o fino do futebol. Mas dizer que ele vem fazendo boas atuações é pouco. O que é o desespero das defesas adversárias quando o cara parte para cima? Sem contar que além da habilidade do nosso meia-atacante também não sugiro a ninguém apostar uma corrida com o nosso Usain Bolt de chuteiras . Só gostaria que os oponentes soubessem “ficar na saudade” sem violência, pois Muriqui é o jogador que mais recebe faltas no campeonato. Mais cuidado com um candidato à camisa amarela, por favor!

Foco no Coxa
O time da gávea já é coisa do passado. Agora temos a semana para centralizarmos nossas forças na partida contra o Coritiba dos paraíbas que jogam muita bola. E como é de costume e vem dando muita sorte, repetirei a tônica dos posts anteriores: Daremos o famoso biquinho nos alviverdes com direito à estabilidade no G4 e alegria para muito mais da metade de Florianópolis.

Tássio Leonardo
Colunista que ama Gisele, sua companheira de jogo.

A nova camisa do Avaí

| 19 comentários
O Avaí finalmente trocou de fornecedor de material esportivo. Deixei pra falar sobre isso após entender alguns dados que considero mais importantes que o seu design.

Royalties
A Champs tranferia apenas os 10% básicos do valor de venda dos produtos nas lojas, A Reebok paga os mesmos 10% de royalties ao Internacional, mas acrescidos de generosos R$500mil mensais. Se ganhássemos 5 vezes menos não seria nenhum favor para um clube de série A. Com a fabricação própria temos duas certezas: aumentaremos os ganhos com royalties e permaneceremos zerados em patrocínio.

Prazo
Inicialmente o Depto de Marketing do Avaí informou que esse movimento comercial duraria 60 dias, prazo mínimo para que um novo fornecedor monte a logística de criação, produção e distribuição. No DC de hoje lemos que “A parceria entre o Avaí e a Pieri Sports será até o final do ano e, se for bem-sucedida, poderá ser prolongada para 2010”. Não será.

Marca própria
Lançá-la de forma emergencial para cobrir esse delay logístico é normal, mas acreditar que essa marca poderá ser usada por tempo indefinido, aí já é ingenuidade. Esse tipo de aventura não é algo novo, já foi experimentado por inúmeros clubes pequenos do país e até mesmo pelo Vasco da Gama. Obviamente não deu certo. Clube de futebol está inserido no segmento de ENTRETENIMENTO e não de INDÚSTRIA. Em caso de dúvida, leia a MISSÃO do Avaí FC.

Fanatic
Esse é o nome da marca provisória dos produtos avaianos. O seu logotipo é amador e o nome remete ao problema número dois da história da humanidade. O problema número um é a busca insana pelo dinheiro, conquanto também seja um tipo de fanatismo. Dizer-se casualmente “sou avaiano fanático” não é nada demais, bem como ter aquelas atitudes de fanatismo isolados que nossas esposas e namoradas não conseguem entender. Mas ser fanático é outra coisa. Sem entrar no campo criminal, esse é o pior consumidor que um clube pode ter, pois em em função de sua infidelidade e inconstância emocional, ele é o primeiro a sumir das lojas e arquibancadas quando o time vai mal.

Design
A nova camisa é um equívoco generalizado, da gola à barra. Na realidade não se pode encontrar elementos básicos de DESIGN nela, o que temos é o ajuntamento atabalhoado de informações (necessárias) em um tecido azul e branco. Sim, é provisório, mas até mesmo o que é provisório não precisa ser mal feito. Lembre-se, estamos falando de um clube de série A, com morçamento anual de R$15milhões e que agora transita com muita frequência na mídia nacional. Da mesma forma, nada justifica a utilização de um modelo masculino barrigudinho para a aprimeira presentação do produto. Não era o caso de se chamar a Ellen Roche, claro, mas a musa avaiana, a bela Marcelle, posaria com o maior prazer. Até blogueiro sarado o Avaí tem, é só procurar lá no Setor D.

Grife é importante?
Muito. Se restar alguma dúvida saia na rua agora, escolha 10 pessoas ao acaso e pergunte isso a elas. Você terá duas constatações: a primeira é que a maioria dirá que grife não é importante, "o que importa mesmo é a qualidade". A segunda é que essa mesma maioria confessará que adora usar (e comprar) roupa de grife. Lembre-mo-nos que quando nosso primo-segundo trocou a Umbro pela Fila, a avaianada toda (inclusive você aí) caiu de pau fazendo gozação dizendo que essa era uma marca inferior, de segunda categoria. Para os incautos, a Fila é uma marca mundialmente conhecida, de uma qualidade inquestionável e que é refrência no mundo esportivo. Agora estamos aí com a Fanatic, tentando vender a idéia de que os designers italianos deveriam estagiar aqui no Carianos.

Superstição
Na estréia dessa camisa ganhamos o Flamengo por 3x0. Dependendo dos futuros resultados, vote comigo para que ela seja utilizada pelos próximos 100 anos, sem nenhuma alteração.

As razões para o sucesso do Avaí

| 1 comentários
Vi, li, gostei, copiei e colei. Aí está uma análise muito interessante feita pelo jornalista Lédio Carmona em seu blog na Globo.com onde ele pontua as razões que explicam o sucesso do atual momento do time avaiano. Tudo muito simples, sem fórmulas mirabolantes, e isso fica muito claro para nós que acompanhamos as notícias do clube desde o início do campeonato. Lá e cá todos percebem que com uma pitadinha de humildade aqui e outra pitadinha de responsabilidade ali, o resultado é um delicioso caldo de resultados positivos. Com vocês, as sete razões para o sucesso do Avaí, segundo o "estrangeiro" Lédio Carmona:

1. Paulo Silas foi mantido no cargo, mesmo com o péssimo começo do time e com vários corneteiros pedindo sua cabeça à diretoria.
2. O time joga no limite. Não enfeita, não vive no reino-do-faz-de-conta, valoriza cada disputa de bola.
3. Não desiste nunca. Os empates de 2 a 2 contra Santos e Atlético Mineiro, quando perdia por 2 a 0 fora de casa, são exemplos clássicos.
4. A torcida passou a confiar, acreditar e jogar com o time.
5. A diretoria também não vive do reino-do-faz-de-conta. A folha salarial não passa de 600 mil reais. E todos recebem.
6. Os jogadores tem os pés no chão. E entendem as necessidades da comissão técnica. Ferdinando era lateral e virou volante. Luis Ricardo chegou como atacante e se tornou ala-direito. Odair era titular e aceitou o banco.
7. O time subiu 16 posições, está no G4 e continua dizendo que a missão número 1 é se manter na primeira divisão. Em resumo: joga o peso para os outros e se mantém fiel ao lema do “se vier, é lucro”. Não há deslumbramento na Ressacada. Pelo menos até agora.

O Avaí é um case. E muito medalhão do futebol brasileiro (jogador, treinador e cartola) deveriam assistir a uma palestra de Paulo Silas. Ele pode ensinar o caminho para o óbvio vitorioso. Um atalho tão evidente que a maioria não consegue enxergar.
O sucesso do Avaí é a maior lição do atual Campeonato Brasileiro.

Avaiano e humano

| 3 comentários
Por incrível que pareça, estou tendo sérias dificuldades para fazer um post no dia de hoje. Normalmente me reservo ao direito de ser fanático apenas durante os 90min de uma partida onde o Avaí esteja em campo, depois disso, a razão impera. Entretanto, confesso, que hoje estou extrapolando. A razão é simples, basta olha para a tabela do Campeonato Brasileiro. Aliás, você também está meio "abobado" hoje, não está?

Um martírio
Foram mais de 10 anos comendo o pão que o Diabo amassou, sendo enchovalhado por amigos (?), parentes, vizinhos, enfim, todo mundo. Até quem não tinha time tirava uma casquinha. E agora, assim de repente, sou testemunha de um momento mágico onde o "Bvaí, o Avaipatinga, a tartaruga em cima do poste, o bate-volta, a vergonha de SC" queima a língua daqueles que NUNCA souberam respeitar nossos 85 anos de vidas e tradições. Há muitos assuntos que poderiam e deveriam ser abordados nesse post, mas simplesmente não consigo encontrar as palavras certas e concatenar a linha de raciocínio. Na verdade nem quero, basta-me o torpor das doces emoções que não consigo controlar.


Sugestão
Leiam os outros blogs avaianos, estão todos muito bem escritos, com várias novidades, fotos, vídeos, opiniões, declarações de toda mídia nacional, um verdadeiro coquetel de alegria e informação. Estamos todos em êxtase, e eu, completamente fora de mim. Só vou começar a pensar no amanhã, amanhã.

Rede Nacional
Pra não dizer que fiz um post totalmente inútil, vou deixar duas dicas: a primeira é que nessa noite teremos uma reportagem especial no Jornal Nacional falando do... Avaí. A segunda dica é que se você quer ter o prazer (mais um) de ouvir os gols do Leão na voz do maior narrador esportivo do rádio brasileiro, o "garotinho" José Carlos Araújo da Rádio Globo do Rio de Janeiro, é só clicar aqui. Agora, se me dão licença, vou tomar meu ansiolítico.

Atualização do post

G4 com autoridade

| 1 comentários
GuilhermeÉ difícil traduzir em palavras o que foi a partida de ontem, entre Avaí e Flamengo. Resumidamente, foi o jogo da organização versus a desorganização, do esquema tático definido em contraponto a um amontoado de jogadores, de um time empenhado versus um sem nenhum compromisso. Quem sabe até houve empenho, mas que em virtude de tamanha desorganização, acabou passando despercebido. Quem foi ao estádio para assistir um confronto viu apenas uma equipe jogar, e isso com um amplo domínio territorial, (muito) maior tempo de posse de bola, qualidade nas jogadas e tranquilidade na condução do resultado. O Avaí fez o que quis.

Do time do Flamengo entrou no gramado apenas a camisa (por sinal bonita) e mais nada. Elogio, talvez, ao único contra-ataque onde Everton acabou se lesionando junto à linha de fundo, o que aumentou ainda mais a inhaca carioca.

Nosso time foi seguro, embora não tenha sido uma apresentação brilhante como vimos em outros jogos, mas foi suficiente para balançar três vezes a rede e levar a nação azurra ao delírio. Nossa ala esquerda esteve mais presa que o habitual, com Marquinhos recebendo uma forte marcação individual de Willians, até esse ser expulso. Muriqui, como de hábito, jogou muito. Novidade foi que Capixaba entrou no primeiro tempo e deu seu recado, disse a que veio e dá ao Silas não uma dor de cabeça, mas uma ótima opção para aquele setor. Luis Ricardo, quando deslocado para frente, não rendeu o que lhe é esperado. Vai precisar se esforçar mais para garantir um lugarzinho de titular na equipe, seja no ataque ou na lateral.


O Flamengo estava em frangalhos, com apenas tres titulares e por isso esperava-se era um Avaí insinuante, agressivo e que garantisse a vitória em seus domínios. Pois foi exatamente isso o que fez a equipe comandada por Paulo Silas. A equipe azurra não desperdiça mais as oportunidades como fazia no início do campeonato. Chuta menos ao gol, é verdade, mas agora é muito mais efetivo. Acabou aquela história de perder pontos tolos, estamos mais antenados, amadurecidos. As outras equipes que se cuidem, pois ainda temos muita lenha para queimar. Resumo do jogo: 3x0 com direito à baile. Foto Ricardo Duarte/Clicesportes

Guilherme Quadros
Twitter (@gui_quadros)

G4, a imagem prova

| 6 comentários

A Ressacada vai pulsar

| 0 comentários
É hoje
Depois de receber Palmeiras, São Paulo, Botafogo e outros grandes do futebol brasileiro, chegou o dia de enfrentar o mito Flamengo. Para o Avaí, com 31 pontos, 8° na tabela de classificação e uma série invicta de 10 partidas, é mais uma oportunidade para consolidar uma campanha surpreendente. Já para o rubro negro carioca, com 27 pontos e na 12ª colocação geral, um jogo que pode representar a recuperação no Brasileirão 2009. É o confronto entre o gigante e o “bebê” da série A.

Flamengo
A equipe carioca vem à Floripa em frangalhos. O técnico Andrade não poderá contar com o atacante Emerson, o lateral direito Leonardo Moura, o zagueiro Fabrício, o lateral-esquerdo Juan, o volante Toró, os meias Kléberson e Petkovic, e os zagueiros Aírton e David. Adriano, o Imperador, joga, mas mesmo assim está em observação por conta de uma forte febre. A situação do Urubu é tão complicada que até a musa rubro negra, Nathalie Conti, está desfalcada de uma das meias.

E pra confirmar essa ziczira, nada melhor que as palavras de Arthur Muhlenberg, titular do aloprado Urublog: "O mundo tá mesmo de pernas pro ar. Nunca pensei que fosse viver tanto para um dia ver o Clube de Regatas do Flamengo jogando contra o Avaí pelo campeonato brasileiro, e muito menos com o Avaí no papel de favorito e o Mengão no de underdog".

Avaí
Céu de brigadeiro, mesmo que chova na ilha mais linda do Brasil. Em relação ao jogo contra o Atlético Mineiro, devemos ter apenas uma alteração e ainda assim para melhor: Ferdinando entra no lugar de Marcus Winícius, o que significa muito mais segurança no combate do meio campo. Novidade mesmo, apenas mais duas: a possibilidade de inauguração do novo painel eletrônico de alta resolução com mais de 15m² e a estréia da nova (?) camisa do Avaí. Sobre essa camisa eu falo na semana que vem... ainda não me recuperei do susto.

Liberação de pistas
Sentido Único: Centro - Ressacada
- 16h25min às 16h45min
- 17h às 17h20min
- 17h35min às 17h55min
- 18h10min às 18h30min
Sentido Único: Ressacacada - Centro
- 20h40min às 21h05min
- 21h20min às 21h45min
- 22h às 22h20min
- 23h20min às 23h40min

Setor misto na Ressacada

| 9 comentários
Para esse jogo contra o Flamengo, o Avaí resolveu transformar o Setor E num setor, digamos, diferenciado. Nele os torcedores de ambas as equipes assistirão a partida juntinhos, se roçando carinhosamente, irmanados numa só emoção. Concordo e discordo com essa iniciativa. Concordo porque gente não é bicho, então tem que saber viver em paz com seu semelhante, mesmo que ele não comungue da mesma “fé”. Concordo também porque é uma forma da diretoria garantir o preenchimento daquele espaço que percebemos estar sempre ocioso. Não tem jeito de encher, pelo menos depois da decisão do catarinense nunca aconteceu. Ademais, entrar uma graninha extra é sempre muito auspicioso e todos concordam com isso.
Discordo porque o sócio daquele setor tem o direito de escolher com quem ele vai assistir o jogo do seu lado. Quando firmou o contrato de associação ele pensou que sempre seria um outro avaiano, a menos que alguma cláusula deixasse claro que isso poderia vir a acontecer. Mas o pior nem é isso, se fossem torcedores cariocas mesmo, até vá lá, mas todos sabemos que 95% dos “rubro-negros” presentes na Ressacada serão de secadores rosados. Aí é dose pra mamute.

O que eu faria?
Pergunta fácil essa: privilegiaria o torcedor avaiano, é Bóvio, ou melhor, é óbvio. É ele que está ao lado do time o ano inteiro, fazendo chegar aquela graninha abençoada de forma ininterrupta. O que mais me preocupa ainda não é isso, mas é que com essa medida o Avaí chama para si a responsabilidade direta de algum incidente (ou acidente) que venha a ocorrer entre as torcidas. O Avaí está pressionado financeiramente, precisa continuar pagando seus débitos em dia (coisa rara no Brasil), mas pensar dessa maneira a curto prazo nunca foi uma decisão comercialmente acertada. Alguém poderia citar os casos do Morumbi e Maracanã, onde temos espaços mistos destinados aos torcedores, mas note que lá os setores são originalmente mistos, o que faz toda a diferença. Na Ressacada essa "socialização" será imposta. Tomara que dê tudo certo.

Novidades à vista

| 7 comentários
Novo fornecedor
O Avaí liberou uma nota informando que o contrato com a Champs está rompido. Entretanto, pelo prazo de 30 dias serão ainda comercializados os materiais existentes em estoque. Nos próximos 60 dias deverá pintar o novo fornecedor de seu material esportivo. Estranho: há cerca de uma semana, em contato direto com o Depto de Marketing do Avaí, fui informado que o contrato seria mantido até o fim do ano em virtude do fiel cumprimento de todas as cláusulas por parte da Champs, o que significaria um prejuízo de elevada monta caso o Avaí realizasse esse rompimento. Algo deve ter rolado nos bastidores. Mas isso não importa,
louvado seja, nossas precess foram atendidas e estamos todos mais contentes à partir de hoje. Essa empresa nos "brindou" com os piores uniformes da história recente do Avaí. Tecido, design, tom de cores, desbotamento, descolamento, fios puxados, enfim, um completo desrespeito aos elementos mais básicos de nosso manto sagrado. Que venha a Pieri Sport.

Telão
Um novo telão de alta resolução, com cerca de 15m² também pode ser inaugurado no domingo, na Ressacada. Essa surpresa foi anunciada na manhã de quinta-feira, como sendo uma novidade de 1° mundo, e revelada na tarde de hoje. De primeiro mundo não é, já temos aqui no 3° mundo há anos, mas que é chique, ah isso é. Foto ClicEsportes

De bate pronto

| 0 comentários
Flamengo na UTI
O departamento médico do Flamengo está abarrotado. Some-se a isso as suspensões por cartões e temos a possibilidade de vermos uma equipe esfacelada aqui em Floripa. Problema deles, o Avaí vai atrás dos tres pontos.

Guga
O ilustre torcedor avaiano se disse surpreso com o seu perfil fake no Twitter, que pedia Marquinhos na seleção. Para os que pensam que Guga poderia repetir o que já fez com nosso saudoso Jacaré, esqueçam. Guga agora é uma MARCA e não a colocaria à disposição de outra MARCA (Avaí FC) sem que rolasse uma contrapartida financeira. Business is business.

Gol do Marquinhos
Estava assitindo o jogo num boteco aqui perto de casa. Todos vibraram com aquele “gol de falta” do Galego, menos eu. Acho que fiquei surpreso, parado, tentando entender o milagre, sei lá. Na verdade não estou preparado para acreditar que um gol possa sair dos pés dele em uma bola parada. Continua treinando, mô pombo, que daqui a pouco acontece. Mas no CFA, no CFA, entendessi?

A hora do troco

| 0 comentários
GuilhermeIniciando quase com pé direito. Fiquei o dia inteiro com sentimento de um novo crime de nossa equipe, Silas também, tanto que se mostrou insatisfeito com o resultado ao sair do gramado. Nossa equipe não pode dormir tanto e dar essas bobeiras que quase comprometeram nossa bela fase. Pode parecer estranho, mas perdemos dois pontos ontem.

O Jogo
Corrido, bonito de se ver, o time mineiro teve mais posse de bola na primeira etapa, não conseguimos impor nossa marcação em cima da velocidade e da intensa movimentação dos meias e atacantes deles. O resultado disso é que o galo chegou com certa facilidade pelo miolo de nossa zaga e deixou nossos volantes perdidos na marcação. Marquinhos e Muriqui muito bem marcados na primeira etapa, ainda assim tivemos possibilidade de marcar e principalmente nessas possibilidades que quase marcamos na volta quase tomamos, exigindo os famosos milagres do Martini.

Apavôro
Se na primeira etapa nossa defesa e volantes estavam batendo cabeça, na segunda etapa bateram de vez mesmo. O primeiro gol adversário veio depois de Willian perder uma chance e, numa bicuda de desafogo da zaga deles, deixando Eder Luiz livre após Léo Gago perder o pique da bola, Eltinho não alcançou Eder e Martini completou a lambança saindo quase no meio campo para tentar cortar. Perdemos a cabeça tomamos o segundo gol logo em seguida com Émerson dando de graça uma bola pro atacante deles. Lance engraçado: vejam na comemoração desse segundo gol deles, Marcos Rocha, autor do segundo gol, sai pra comemorar e um jogador se joga para abraçá-lo ele passa lotado dando com os corno no chão.

Mexe Silas, mexe
E mexeu, tirando Augusto para entrada de Capixaba na lateral e alterando o esquema pro 4-4-2 com Luiz Ricardo do meio pra frente, o que já havia acontecido ano jogo contra o Náutico. Achamos um golaço com Eltinho dando uma patada cruzada de fora da área. O gol arrumou nossa equipe e o Galo recuou, Silas colocou mais um no meio campo, o Capitão caverna entrou no Lugar de Luiz Ricardo, amarrou a bola, não passou e fez o gol do empate. Se aqui Celso Roth acabou com Silas, lá Silas deu o troco e fez sua estrela brilhar. Ainda que tenha saído insatisfeito com o resultado, ele queria a vitória, como todo avaiano, e não gostou das bobeiras de nossa defesa. O importante, pela circunstância do jogo, foi que somamos e conseguimos manter essa invencibilidade. Que isso sirva de incentivo para nosso jogadores a continuarem lutando e mostrando um belo futebol.

Mas isso tudo é o que eu achei. E você, o que achou?

Saudações Azurras
Guilherme Quadros
Twitter (@gui_quadros)

Time ixtepô

| 4 comentários
Acaba de acabar (sic) o nosso primeiro jogo do returno, e não é que devolvemos aquele empate criminoso para o Galo mineiro do primeiro turno? Pois é, agora são 10 rodadas sem saber o gosto da derrota, provando que o Leão é uma equipe que se nega terminantemente a perder. É a teimosia de Silas, muitas vezes “atrapalhante”, levada para dentro de campo. A 8ª posição é nossa e ninguém tasca.

Tivemos um primeiro tempo equilibrado, com uma certa vantagem para o Atlético, com Martini fazendo aqueles milagres básicos do dia-a-dia. O segundo tempo teve um gol relâmpago dos UAI, na sequência de uma bola desperdiçada por William lá no ataque seguida de uma saída de gol pra lá de esquisita de nosso guarda-metas. Desnorteado como todo o time, aos 7min Emerson entregou o segundo gol deles numa saída de bola completamente equivocada. O tilt avaiano se prolongou até os 17min quando Eltinho encaixou um belo chute na gaveta do goleiro Edson e aos 44min (haja coração) conseguimos empatar com um gol maluco, bem ao estilo do nosso querido Capitão Caverna.

Vimos, estarrecidos, um gigante do futebol brasileiro se amedrontar diante desse time da Ilha de Santa Catarina. Quem assitiu o jogo sabe que isso não é exagero. O Avaí não é fruto do acaso, não é um time sortudo, não é uma chuva passageira de verão e muito menos uma tartaruga em cima de um poste. Aliás, esse time resolveu jogar muitos provérbios por água abaixo. Eu não duvido de mais nada, nada mesmo.

Galo e Leão em BH

| 4 comentários
Começa hoje para nós o returno do Brasileirão, então chegou a hora de retribuir as visitas. Avaí e Atlético jogam essa noite em situações um pouco diferentes, com o Leão da Ilha vindo de uma arrancada pra lá de surpreendente e defendendo a invancibilidade de nove jogos. O Galo mineiro encara essa partida como a chance de acabar com o momento ruim no Campeonato Brasileiro, que chegou até a liderar, mas perdeu posições precioosas.

As equipes
Vamos com time completo, apesar de Silas fazer charminho em relação ao retorno de Ferdinando. Mas caso Ferdi realmente não possa atuar, não fico assim tão preocupado, visto que Marcus Winícius (quem diria) vem tendo boas atuações. O Galo , que não ganha há duas partidas, entra em campo com muitos desfalques, isso é certo. Mas não se iludam, enfrentaremos um time grande e que joga para retornar ao G4. Com 32 pontos, o Galo está com dois a mais que o Avaí, o que caracteriza a partida como um confronto direto. Sem falso otimismo, acredito que dá para sairmos de BH com tres pontos.


Não fui eu que disse
Não posso deixar de citar o comentário de Celso Roth dado no dia de ontem ao site Superesportes: “Pela campanha do Avaí, é um candidato ao título. Será um jogo decisivo, empatamos lá em Florianópolis, vamos jogar aqui e não haverá outro confronto com o Avaí. Daí vem a importância desse jogo, que será em um nível altíssimo. Será um duelo direto, respeitamos o adversário, mas vamos buscar o resultado que nos interessa”.
Fiquei bobo.

Abaixo da média

| 2 comentários
Prometi comentar sobre o público que passou pelas catracas da Ressacada no jogo contra o Náutico, um pouco mais de 9.200 almas pagantes (total de 10.016). Dando uma olhada em meus arquivos percebi que já tinha abordado assuntos parecidos aqui, aqui e aqui.

Li uma frase na Comunidade do Orkut onde o torcedor afirmava que estava provado que o nosso problema não era o valor do ingresso, pois mesmo com a promoção de 40%, ainda assim tivemos um resultado fraquíssimo nas bilheterias. Vejo tres sérios problemas que, se não justificam, pelo menos explicam estarmos em 17° lugar no público médio total entre os 20 clubes do campeonato:

Acesso - o pior do Brasil. Um colega que mora em Coqueiros relatou que 5min separam sua casa da Barbielândia, ali no Estreito. Ao chegar nas imediações do estádio, ele leva cerca de 10min até sentar em sua cadeirinha esverdeada, e isso com qualquer público. Disse-me ele: “Se o Figueira jogasse onde vocês jogam, o público só passaria de 5mil em decisão de campeonato”.
Preço do Ingresso - o mais caro do Brasil. Como comparativo, amanhã, em BH, uma cadeira custará R$20,00. Embora considere suicídio à médio e longo prazo, respeito essa decisão da diretoria azurra. Saliento apenas que quando o clube olha o sócio-torcedor como uma forma de garantir o “fixo” eliminando a venda de ingressos, ele deixa para trás uma gama de outros torcedores, que não têm interesse em contribuir mensalmente com o time, mas que podem perfeitamente consumir diversos produtos oficiais, entre eles o ingresso para o jogo.
Pay Per View - essa “praga” se alastrou feito gafanhoto. Se você prestar atenção verá que qualquer boteco de esquina tem lá uma TV conectada que convida os clientes a não enfrentarem as 2hs pra ir e as 2hs para vir da Ressacada. Isso sem falar nas residências. No fim das contas milhares de torcedores optam pelo conforto e segurança de não ir .

O hábito faz o monge
Esse cenário me traz uma preocupação central: a falta do hábito de ir à campo. Se é verdade que “o pote vai tanto à bica que um dia lá fica”, então temos um problema estabelecido quando os torcedores encontram razões, objeções e facilidades para não frequentar a Ressacada. O vínculo de relacionamento e reponsabilidade para com o clube fica enfraquecido: “O Avaí já ganha com a cota da minha TV, do meu PFC e da minha Timemania. Eu dou lucro”. Dá sim, é verdade, mas é pouco, tão pouco quanto a nossa média de público na série A. Foto Ricardo Duarte

O Galo ferido

| 1 comentários
O técnico Celso Roth comandou um coletivo nesta terça-feira à tarde, na Cidade do Galo, e mostrou o que deve ser a cara do time do Atlético para pegar o Avaí, quinta-feira, no Mineirão, pela abertura do returno do Campeonato Brasileiro. A equipe voltou ao esquema 4-4-2.

Mas uma vez, a equipe tem vários desfalques: o zagueiro Alex Bruno, o volante Renan e o atacante Diego Tardelli, todos suspensos; os goleiros Aranha e Bruno, e os volantes Márcio Araújo e Serginho. Sem o goleiro titular e seu reserva imediato, Roth deve dar nova oportunidade a Édson. Com poucas opções para o setor de contenção no meio-campo, o treinador decidiu tirar o volante Carlos Alberto da lateral direita e escalá-lo na posição de origem. Marcos Rocha foi o titular na direita.

Ainda no meio-campo, Tchô foi mantido e terá ao lado Renan Oliveira, que ganhou a vaga de Júnior. No ataque, o substituto do artilheiro Diego Tardelli, suspenso, deve ser o colombiano Rentería, que ainda não estreou com a camisa alvinegra. O Atlético treinou com: Édson; Marcos Rocha, Werley, Welton Felipe e Thiago Feltri; Jonílson, Carlos Alberto, Tchô e Renan Oliveira; Éder Luís e Rentería. Fonte Superesportes / Foto Renata Leal, musa do Galo

Oba-oba, aqui não

| 3 comentários
TassioMais interessante do que a campanha do Avaí na série A é o comportamento da torcida com relação ao time. Foi adotada pela massa avaiana a mesma conduta do Silas e dos jogadores: humildade antes de tudo que, ao meu ver, é uma atitude completamente adequada para não gerar um clima de oba-oba semelhante àquele criado pelo rival no começo da série B. Isso os fez esvaziarem o estádio após verem que conseguir a ascensão não é tão simples como pensavam. O fato é que estamos lutando contra o rebaixamento e, no máximo, corremos por fora para conquistarmos uma vaga pra alguma das duas competições internacionais. Temos consciência disso.

Muritini e Martinho
Muriqui, Martini, Marquinhos e Eltinho estão desequilibrando no campeonato à parte que fazemos há nove rodadas. Ô, medo de perdê-los...

À procura da partida perfeita
Terminamos o 1º turno da série A na sexta posição com uma bela partida na Ressacada, onde jogamos utilizando a nossa eficiente/recente obediência tática de ocupação de territórios contra um Náutico competente que vendeu caro o resultado e não merece cair de jeito algum. Contudo as declarações infelizes do técnico Geninho sobre o árbitro deu um aspecto chorão para o Timbu, que não precisa disso para se manter na elite do futebol brasileiro.

Praticando um futebol de muita maturidade e de pegada, conquistamos, finalmente, um respeito nacional. Agora temos a outra metade do campeonato para nos focarmos e muitas mudanças de posições podem acontecer na tabela. É só continuar o ritmo forte que podemos repetir essa bela campanha da primeira parte do campeonato, e que a determinação dos últimos nove jogos se torne presente na quinta contra o Atlético MG, na casa deste ótimo oponente, hoje ocupante da 5ª colocação após perder para o Corinthians no final de semana e no domingo, contra o Flamengo, na Ressacada, com direito à feijoada e à bela festa da torcida pelas arquibancadas.

Galo e Urubu
Eu voto em mais dois “biquinhos” do nosso Leão na alma dos secadores de plantão. Avaí, és mais do que uma paixão! Então vou deixando aqui a minha saudação para todos que carregam o azul dentro do coração.


Tássio Leonardo.

Pra ficar esperto

| 5 comentários
View more presentations from gugafail.
Clique em Full para melhor visualização. Fonte Sofredores

Um diálogo provável

| 8 comentários
Grata surpresa
Assim podemos resumir a sensação após presenciar a apresentação de Fabinho Capixaba nos poucos minutos que lhe foram destinados no jogo contra o Náutico. Ainda não sabemos se vai solucionar a antiga pendência de nossa lateral direita, mas que o rapaz deixou um gostinho de quero mais, ah isso deixou. Em quatro investidas pela ponta direita (quem diria) o nosso reserva (?) de luxo encaixou tres bolas rasantes e perigosíssimas na área adversária. Fazia muito tempo que eu e você aí não tínhamos mais visto isso.

Mas e agora?
Luis Ricardo também vem desempenhando um bom papel por aquele setor, e isso depois de ter sido deslocado da posição de atacante, o que não deixa de ser um sacrifício profissional. O que fará Silas? Fico só imaginando o diálogo de ontem na Ressacada entre os dois:
LR - Que beleza ontem, hein professor? Mais 3 pontos. E então, o que o senhor quer de mim contra o Galo?
Silas - Pois é rapaz, esse é o problema... cê viu o Capixaba?
LR - Perae professor, saí do ataque pra quebrar esse galho aqui na ala direita. O senhor não vai me fazer a desfeita de me colocar no banco justo agora que a gente tá por cima da carne seca.
Silas - É isso mesmo, cê tava quebrando um galho. Agora chegou esse cara que é lateral de ofício. Cê viu os cruzamentos que ele meteu lá na área?
LR - Vi sim, mas não deram em nada.
Silas - Mas nem podia, a gente não sabe o que é bola alçada desde a era dos Dinossauros. Tá todo mundo desacostumado, temos até que treinar cabeceio tudo de novo.
LR - Mas nós já fizemos gol de cabeça esse ano, professor.
Silas - Só o Emerson, e contra.
LR - Então eu vou dançar mesmo, é isso?
Silas - Por enquanto eu não vou mexer em nada, mas cê fica esperto.
LR - Pô, eu sei que o professor é um homem de fé. Vamos pedir que a Virgem Maria nos oriente.
Silas - Eu sou evangélico, não acredito em Maria.
LR - Si ferrei.

Novo uniforme

| 0 comentários
O Vélez Sarsfield, campeão argentino do torneio Clausura 2009, fez a apresentação de seus novos uniformes para a temporada desse ano. Os dirigentes apostaram numa maneira ousada para divulgar a nova linha de uniformes do clube. As modelos vestiam as novas camisas e calcinha, . Antes que você pergunte se essa idéia funcionou, me diz uma coisa: você acha mesmo que eu faria um post de lançamento do uniforme de um time argentino se isso tivesse sido feito do jeito tradicional?
E a gente aqui tendo que se contentar com Léo Gago, Muriqui, William, Pereirinha...

Esse Avaí é muito esquisitão

| 4 comentários
Li hoje na FOLHA uma matéria que trata do cenário de desolação no futebol brasileiro, cada dia mais próximo da falência. A dívida dos 21 clubes mais ricos do País cresceu 26,2% em 2008. Quatro vezes o valor da inflação no mesmo período. Em 2007 a dívida do Corínthians, por exemplo, era de R$ 100 milhões. No final de 2008, já ultrapassava os R$ 134 milhões. O Flamengo, segundo maior devedor do futebol brasileiro, mesmo devendo uma quantia próxima de R$ 330 milhões, contratou o jogador Adriano, pagando-lhe R$ 200 mil mensais. O Santos, com passivo de R$ 148 milhões, contratou Vanderlei Luxemburgo e todo seu staff com valores mensais próximos de R$1 milhão.

No blog Minha vidAvaí o “jornalista” Felipe chama a atenção para a coluna do jornalista (sem aspas) Juca Kfouri informando que o Tribunal de Contas de São Paulo condenou o prefeito de Barueri, Rubens Furlan, a devolver mais de R$15milhões aos cofres públicos, dinheiro que ele empregou no time de futebol do Grêmio Barueri, isso em 2006. Olha o segredo do sucesso do Barueri aí, gente.

“Sim, mas o Avaí também deve”. É verdade, mas o credor é seu presidente, o empresário João Nilson Zunino, que vêm demonstrando que é possível, sim, aplicar conceitos básicos da boa e velha administração limpa também no combalido mercado da bola. No Avaí, meus queridos, Caixa a gente faz em casa. Como lembrou a leitora Lu em seu comentário no post do Felipe, nós somos pobrinhos mas somos limpinhos (apropriação de comentários dos blogs-irmãos? Isso eu nunca tinha visto).

Arrancadas & business

| 6 comentários
É, como já se esperava, o campeão voltou. Com a vitória de ontem sobre o Sport por 2x1, o São Paulo completou a sexta vitória consecutiva e a sétima nas últimas nove partidas. Agora o tricolor paulista soma 33 pontos e assume a quarta posição na tabela do Brasileirão 2009.

Numa excelente sacada comercial, o clube ressuscitou o personagem Jason, do filme “Sexta-feira 13”, que simboliza a reação da equipe na competição. Mais um sucesso de vendas, claro, tanto que a loja oficial do clube do Morumbi resolveu iniciar a pré-venda da camisa oficial do clube com o nome do personagem e o número 13 nas costas. O preço é pra lá de salgado, R$ 169,90.

Para a partida da próxima quarta-feira, contra o Fluminense, a diretoria tricolor espera que seus torcedores possam voltar a usar a máscara do personagem do cinema. É que o objeto foi proibido pela Polícia Militar, que alega que a máscara dificulta a identificação de torcedores no caso de alguma confusão. Haverá uma reunião para discutir o assunto na próxima terça-feira.

Estava aqui pensando com meus botões: com invencibilidade de nove jogos (sete vitórias), que personagem se encaixaria à essa campanha do Avaí? Fonte Base Globo.com

Adeus 1° turno

| 0 comentários
GuilhermeVitória sofrida, para cardíacos, mas desde o início estava claro que só poderíamos perder para nós mesmos. O Náutico, longe de ser uma galinha morta, veio bem postado em campo e marcando nossa saída de bola. Nada demais, afinal isso aconteceu isso nos últimos tres jogos. Tivemos dificuldades na saída porque nossos meias não se apresentavam, mas Muriqui, sempre ele, conseguiu abrir os espaços necessários driblando e se movimentando por tudo quanto era lado. Eltinho, abençoado, fez um golaço de falta, numa falta sofrida por Muriqui, sempre ele.

Segunda etapa
Voltamos ainda melhor mas tive o desprazer de ver os mesmos erros das dez primeiras rodadas, com finalizações displicentes, péssima pontaria e, claro, vários gols perdidos. Emerson, querendo dar uma “animada” no jogo, fez um belo gol contra. Fomos com tudo pra cima dos pernambucanos e quando o adversário teve um jogador expulso, Silas abriu um 4-4-2 com Willian e Luiz Ricardo na frente e Fabinho Capixaba na lateral. Gostei, surtiu resultado: 1,2,3 bolas nos paus, até que aos 44min, com um gol que foi uma pintura, nosso maestro mostrou porque Parreira tem razão. Foi uma vitória de 2x1 num jogo tenso, emocionante e com dois golaços azurras. Bem feito pra quem não foi e pra quem saiu cedo com medo da bicha.

Capixaba
Tive a impressão que ganhamos um lateral e um belo lateral, Fabinho Capixaba. Fazia muito tempo que não via bolas cruzadas na área com qualidade e perigo saindo de nossa ala direita. Em quatro investidas pela direita, tres cruzamentos que beiraram a perfeição, faltando apenas uma cabecinha santa que testasse a bola para as redes.

Balanço do 1° Turno
Sofremos nas 10 primeiras rodadas, não por falta de qualidade do nosso elenco, mas sim pelo impacto da transição do campeonato catarinense para o campeonato Brasileiro. A qualidade das equipes adversárias, a tradição das camisas adversárias, e o deslumbramento com um campeonato que é o sonho de consumo de qualquer atleta acabou provicando um delay entre o querer e o poder. Acredito que com uma boa campanha (ou apenas razoável) nesse 2° turno já possamos nos garantir na série A de 2010.

O returno
Marque aí na sua agenda as dez primeiras rodadas: Atlético MG (F), Flamengo (C), Coritiba (F), Inter (C), São Paulo (F), Barueri (C), Fluminense (F), Cruzeiro (C), Palmeiras (F), Botafogo (F). Com exceção do Barueri, todos os demais já foram campeões da série A. Façamos uma corrente positiva para manter nossos destaques e que acima de tudo, nosso time mantenha a pegada, padrão de jogo e, principalmente, a ambição. Após essas dez primeiras rodadas saberemos que campeonato estaremos disputando. O momento é de agradecimento e confiança que o trabalho está sendo (muito bem) feito.

Grande abraço
Guilherme Quadros
Twitter @gui_quadros

Proibido para cardíacos

| 5 comentários
Assim foi a tônica da vitória de Avaí sobre o Náutico por 2x1, um teste definitivo para se saber quem tem coração forte. Pensei que nunca mais sofreria tanto na vida quanto naquele jogo contra o Botafogo: uma partida entre o lanterna contra o vice-lanterna, à noite, com chuva, frio, vento sul, fila e pra completar o cenário de desgraça, uma derrota. Me enganei redondamente, nada se compara ao que presenciamos ontem na Ressacada. O nosso querido Sobrenatural de Almeida resolveu fazer as suas traquinagens pra cima do Leão da Ilha.

Estafa
Confesso que esse jogo me stressou, me deixou emocionalmente cansado. Que sofrimento... e ao mesmo tempo, que alegria. Não me lembro de termos perdido tantos gols em uma só partida desde o catarinense do ano passado. A equipe Pernambucana é realmente limitada, não surpreendeu em nada, inclusive na proposta de jogo: veio fechadinha na esperança de sair com um empate salvador. Mas nada disso adiantou, fechamos uma série invicta de nove jogos no turno do Brasileirão e até a conclusão da rodada no dia de hoje, ocuparemos a quinta colocação na tabela, com 30 pontos. Quando imaginei uma boa campanha do Avaí na série A de 2009, sonhava em flutuarmos entre a 10ª e 14ª colocação. É um sonho.


Tem mais
Falaremos mais sobre esse jogo na sequência, assunto é o que não vai faltar. Excelentes atuações, a boa estréia de Fabinho Capixaba, a campanha para o returno e nossa média de público na Ressacada, ontem com um pouco mais de 9.200 almas (total de 10.016). Pouco, realmente pouco. Vamos analisar com cuidado as razões que estão causando esse resultado inexpressivo nas arquibancadas.